Sete dicas para manter o peso saudável no inverno

1- Carga glicêmica.
Ela serve pra dizer se o que comemos faz subir muito os níveis de açúcar (glicose) do sangue. Quanto mais fibras e menos ingredientes refinados o alimento tiver, menor a carga. Isso significa maior saciedade, menos fome e peso em dia. Grãos integrais e verduras são uma ótima escolha (aliás, nesse frio, vai bem um creme de abóbora…link receita gastronomia)?

2 – Não é preciso cortar as delícias de inverno!
A única coisa a que a gente é radicalmente contra é aos radicalismos. Se comermos bem em 90% do tempo, os outros 10% podem ficar para o que a gente gosta, mesmo que não seja lá tão saudável assim. Tomar um chocolatinho quente lendo um livro, ou saborear um fondue numa roda de amigos de vez em quando é ótimo pra relaxar e se sentir bem.

3 – Proteína, sim. Mas não é qualquer proteína.
A qualidade das proteínas dos alimentos diz muito sobre o nosso peso. Aliás, não só sobre o peso, mas um monte de outras coisas, inclusive o intestino. Abusar de carnes vermelhas, leite e derivados, por exemplo, aumenta as chances do intestino não absorver bem o que a gente come ao longo do dia, e isso pode prejudicar o peso. Prefira as melhores fontes de proteínas como a quinua, os cereais integrais como arroz, aveia e milho, as leguminosas como feijão, lentilha e grão de bico, além do ovo caipira.

4 – Uma aceleradinha no metabolismo.
Longe da gente achar que qualquer alimento por si só faz milagre. Isso não existe. Mas alguns ajudam a aumentar um pouco a temperatura do corpo (termogênicos), facilitando o gasto de energia e a perda de peso. Canela, chá verde e pimenta são alguns exemplos. Que tal começar o dia com um chazinho verde ou com uma pêra quente com canela e um fio de mel? Hum…

5 – Ficar muitas horas sem comer não ajuda a emagrecer.
Pelo contrário. Faz o corpo achar que você está se privando porque não tem comida por perto mesmo, aí ele inteligentemente começa a reservar (quase) tudo o que chega em forma de gordura (questão de sobrevivência). É por isso que o caminho certo é exatamente o contrário: comer a cada 3 horas, refeições leves e de qualidade (com alimentos naturais). Aproveite, por exemplo, as frutas típicas do inverno como kiwi, laranja, abacate, e mexerica pra comer no intervalo entre as refeições principais.

6 – Se divertir também faz parte!
E que bom que no inverno a gente tem um monte de oportunidades pra isso. As festas juninas mesmo são um exemplo de ambiente de descontração e divertimento , mas é claro que vale o que sua imaginação mandar. Separe uns momentos toda semana pra fazer o que gosta. Estresse demais, sem períodos de lazer, aumenta a produção de cortisol no corpo e pode engordar.

7 – Dormir bem.
Não há quem consiga passar por muitas noites mal dormidas sem que o organismo fique meio lesado no final. Tão importante quanto comer bem é dormir bem. Sem boas noites de sono, o o metabolismo fica todo desregulado, e aí não adianta colocar a culpa na alimentação quando o ponteiro da balança subir. Pra quem tem dificuldade pra pegar no sono, alguns toques bacanas: evitar atividades físicas muito agitadas à noite, não ficar por muito tempo na frente do computador à noite, tomar um banho quente antes de ir pra cama e deixar o quarto totalmente escuro e silencioso. Fonte: Mãe Terra

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

| Deixe seu COMENTÁRIO AQUI |

Escreva, comente, participe do Blog!!!

Os comentários serão respondidos por aqui, então retorne para ler sua resposta.

Siga @dannymoubbg no Twitter!