Controle seu apetite em oito passos

31st outubro, 2016 by Danny Mou

No corre corre diário é comum para algumas pessoas pular o café da manhã ou almoçar muito pouco, não se alimentando de maneira correta – e com isso, invariavelmente à noite sua fome estará incontrolável, e beliscar até a próxima refeição acabará sendo inevitável.

Saber como controlar a fome é imprescindível para que você emagreça, e alimentar-se a cada três horas é o primeiro passo para não correr o risco de se descontrolar e atacar tudo o que vier pela frente quando a fome chegar. Inverta de forma gradativa esse quadro, comece o dia com um café da manhã reforçado e vá diminuindo as quantidades do que você come no decorrer do dia.

1-) Invista em atividade física, ela é fundamental para sua saúde e qualidade de vida. Ela ajudará você a emagrecer e se manter magro.

2-) Mantenha uma alimentação balanceada, com todos os grupos alimentares, proteínas, gorduras boas e carboidratos de baixo índice glicêmico. Mudanças de estilo de vida são muito eficazes no tratamento de emagrecimento.

3-) Aposte em alimentos termogênicos, capazes de aumentar o gasto calórico do organismo. Nessa lista, você encontra pimenta, chá verde, gengibre e outros.

4-) Faça check-ups periódicos, pois seu corpo precisa estar em equilíbrio para que você possa emagrecer sem riscos, e só fazendo os exames médicos da parte clínica, nutricional e hormonal você poderá detectar os entraves metabólicos que emperram a perda de peso.

5-) Aumente a ingestão de fibras, que além de melhorar o trato intestinal aumenta a sensação de saciedade.

6-) Use medicamentos quando necessário, como no caso da obesidade, que é uma doença de causa multifatorial e complexa, que em muitos casos necessita ser tratada com diversas estratégias, inclusive com o uso de medicamentos, que devem ser usados de maneira criteriosa e após avaliação detalhada do histórico do paciente.

7-) Diminua o estresse, pois estudos demonstram que o ganho de peso e os níveis de cortisol (conhecido como hormônio do estresse) estão intimamente ligados, ou seja, quanto maior o estresse, maior é o nível do cortisol e maior é a facilidade com que o indivíduo ganha peso. A má alimentação e sedentarismo fazem parte do círculo vicioso em que o indivíduo está inserido e para interromper este ciclo é necessário a adoção de hábitos e atividades que melhorem a qualidade de vida, como atividades ao ar livre, caminhadas e atividades lúdicas.

8 ) Diminua o consumo de açúcares e gorduras, pelos motivos descritos acima na matéria e segundo a Associação de Neurociências do Canadá, existem pessoas que são mais vulneráveis a se viciarem em alimentos pouco saudáveis, como os ricos em açúcares e gorduras, portanto evite-os!
Fonte: Portal Minha Vida

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Já ouviu falar em Ortorexia?

29th setembro, 2015 by Danny Mou

Cru, vegano, sem lactose, sem açúcar, sem glúten… Não faz muito tempo que as redes sociais foram tomadas por pessoas que exibem, orgulhosas, pratos extremamente seletivos. Em alguns casos, no entanto, o desejo de adotar uma alimentação saudável pode virar obsessão e prejudicar a saúde, em vez beneficiá-la. Caracterizada pela necessidade do indivíduo de seguir uma dieta restritiva, rigorosa e considerada correta, a ortorexia é um tipo de transtorno do comportamento alimentar que pode levar, por exemplo, à desnutrição e ao isolamento social.

Por acreditar que determinados alimentos fazem mal, o ortoréxico corta nutrientes importantes do cardápio, como carboidratos e proteína animal, sem fazer substituições de qualidade. Outras atitudes típicas são querer tomar vários suplementos vitamínicos e se negar a ir a festas ou sair para comer fora com a família ou os amigos, por medo de cometer deslizes na dieta.

— É um transtorno difícil de ser detectado, porque a pessoa acredita que está sendo o mais saudável possível e fica com a consciência tranquila. Mas chega um momento em que o comportamento abusivo, de só pensar em comer adequadamente, compromete a qualidade de vida — explica a nutróloga Liliane Oppermann, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Tratamento depende de apoio familiar
Não há como prevenir a ortorexia, mas a detecção precoce do transtorno facilita o tratamento. Por isso, o apoio da família é importante: se ficar evidente a inflexibilidade da pessoa em relação à comida, é preciso ajudá-la a buscar ajuda especializada.

Segundo o psiquiatra Alexandre Azevedo, do Programa de Transtornos Alimentares do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, o tratamento da ortorexia alia psicoterapia, para a tomada de consciência do problema, e orientação nutricional, para correção de padrões alimentares errados.

.

Quando “saudável” se torna uma obsessão!

.
Meio termo é o caminho
Segundo a nutricionista Ana Carolina Bragança, o desenvolvimento da ortorexia está ligado a uma predisposição genética ao transtorno, além de fatores familiares, traumas (como ter repulsa a certos alimentos depois de um episódio de gastroenterite, por exemplo) e exposição frequente a um ideal de vida saudável veiculado na mídia.

— Nunca comer fast food é uma opção de vida, é normal. Mas quando a pessoa só come aquilo que ela mesma determinou que é saudável e não abre mão de sair da rotina, isso já caracteriza extremismo — diz Ana Carolina, especialista em comportamento alimentar.

Profissionais da área da saúde, como médicos, nutricionistas e educadores físicos, fazem parte do grupo de risco para a ortorexia, assim como mulheres na faixa dos 30 anos. De acordo com o psiquiatra Leonardo Gama Filho, o segredo para não cair no exagero e ficar doente é manter a moderação.

— Dá para ser saudável e comer em uma festa sem se martirizar depois. Não abusar nem deixar faltar é sempre bem-vindo — pondera. Fonte: Extra Saúde

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 1 COMENTÁRIO »

Não como e engordo, por que será?

27th maio, 2015 by Danny Mou

Um dos grandes questionamentos sobre a perda de peso é como algumas pessoas ficam sem comer e engordam. O que será que está acontecendo?

É importante colocar que nem sempre as coisas são o que parecem. Muitos que procuram tratamento para perder peso comem compulsivamente, mas se controlam em público. Parece que essas pessoas não comem nada. No entanto, longe dos amigos, consomem de tudo. Com esse comportamento, perder peso ficará cada vez mais difícil.

Outra desculpa muito utilizada pelos “gordinhos” é a disfunção na tireóide. A glândula produz hormônios responsáveis por regular o metabolismo. Quando estão em baixa, causam aumento de peso e retenção de líquidos. Na maioria das vezes, não é o caso. É apenas uma justificativa para a obesidade.

A verdade é que ficar o dia inteiro sem comer e à noite devorar tudo com certeza fará você ganhar peso. Não adianta fazer dieta o dia inteiro e abusar ao anoitecer. Um dia inteiro em jejum dá fome . Na hora de comer, a pessoa engole a comida, sem mastigar direito, comprometendo a digestão.

Existem pessoas que quase não enchem o prato de comida. Em compensação, fazem tudo errado e acabam consumindo basicamente carboidratos e gorduras. Sugerimos um prato farto, mas com todos os ingredientes necessários para uma boa alimentação.

Se você controla a alimentação e não perde peso, com certeza precisa consultar um nutricionista, que deve detectar a existência de alguma alteração. Existe também um exame chamado bioimpedância, que indica a quantidade de gordura, massa muscular, água e parte óssea de cada pessoa. Fica mais fácil achar a causa da resistência da gordura.

É bom explicar também que não é só abolir os doces e as frituras. Para perder peso, é preciso adotar um conjunto de atitudes. Fonte: Por Luana Stoduto, nutricionista – Bem Leve

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 2 COMENTÁRIOS »

Produtos que têm fama de saudáveis, mas não são!

15th abril, 2015 by Danny Mou

Está tentando perder alguns quilos e, mesmo seguindo uma alimentação balanceada, não vê resultados na balança? É melhor rever o seu cardápio. Alguns alimentos considerados saudáveis podem, na verdade, sabotar a dieta.

Não é porque está escrito no pacote que é saudável, light ou sem gordura que o produto realmente é uma boa opção para a dieta. Ele pode ter menos calorias, por exemplo, mas ser cheio de sódio ou gordura“, diz Celso Cukier, nutrólogo do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O ideal é, em vez de ceder ao apelo comercial, ler o rótulo e a composição dos alimentos antes de colocar um produto no carrinho.

Um exemplo de comida da moda que pode não oferecer benefício nenhum à dieta são os alimentos sem glúten, fabricados para celíacos, que de fato não podem ingerir a proteína. “Não vai fazer diferença nenhuma para quem não tem doença celíaca, uma condição que afeta 1% da população; eles têm tantas calorias quanto aqueles com glúten e simplesmente não fazem diferença na dieta“, afirma Cintia Cercato, endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Confira alguns alimentos que têm fama de saudáveis, só que não são!

Pão integral
A embalagem pode até dizer que o pão é integral, mas diversas vezes o produto contém mais farinha branca do que integral. De acordo com a endocrinologista Cintia Cercato, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM), para saber se não está comprando gato por lebre, certifique-se que o primeiro ingrediente listado no rótulo é a farinha integral. “Além disso, olhe o conteúdo de fibra por porção. Se tiver entre 3 a 4 gramas, pode comprar”, diz.

Margarina
Assim como apenas celíacos precisam de alimentos sem glúten, somente pessoas com colesterol alto necessitam trocar a manteiga pela margarina. E não é qualquer margarina, mas aquelas marcas que acrescentam fitosterol na sua composição. O fitosterol é um extrato natural do óleo vegetal que ajuda a controlar os níveis de LDL (o colesterol “ruim”) no sangue. Para quem não tem esse problema, não há qualquer vantagem em escolher a margarina no lugar da manteiga, ambas igualmente ricas em calorias e gordura. “A margarina ainda tem grande quantidade de gordura vegetal, que atua no processo de inflamação do organismo”, explica Celso Cukier.

Alimentos orgânicos industrializados
Bolinhos, biscoitos, geleias e molhos industrializados feitos com ingredientes orgânicos são ricos em açúcar, assim como os que não são orgânicos. Além disso, pelo fato de serem processados, perdem grande parte das vitaminas e fibras. Trata-se, portanto, de um produto com os mesmos malefícios dos concorrentes sem esse rótulo, com a desvantagem de ser mais caro.

Salgadinhos com baixa caloria ou pouca gordura
Segundo a nutricionista Márcia Fontes, coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital Norte D’Or, no Rio de Janeiro, salgadinhos industrializados anunciados como saudáveis induzem o consumidor ao erro. “A pessoa acredita que, por ter baixa caloria e pouca gordura, esses alimentos podem ser consumidos à vontade. A redução é, normalmente, de 25%, o que significa que ele ainda tem 75% de gordura”, afirma.

Sucos de fruta industrializados
Os sucos industrializados contêm a partir de 30% de polpa de fruta. “O restante, na maior parte, é açúcar. Durante a armazenagem, a bebida perde antioxidantes e vitaminas”, diz Celso Cukier. O suco light, por exemplo, tem menos açúcar, mas é rico em sódio, que causa a retenção de líquido.

Molhos para saladas
Molhos industrializados são ricos em sódio, gorduras saturadas e açúcares, que prejudicam a dieta equilibrada. “Temperar a salada com molhos naturais, como um pouco de azeite e sal, é mais saudável”, diz a nutricionista funcional Thaianna Velasco, da Clínica Helena Costa, no Rio de Janeiro. Uma dica é fazer um tempero com suco de limão, iogurte, um fio de azeite de oliva e, no máximo, 1 grama de sal.

Bebidas esportivas
As bebidas esportivas devem ser consumidas por pessoas que praticam pelo menos uma hora de atividade física intensa. Para quem faz menos que isso, a bebida pode causar pedras no rim, por ser rica em sódio e potássio. “Bebidas para atletas não podem substituir suco ou água. Elas não trazem benefício algum sem a prática de atividade física intensa”, diz Thaianna Velasco. Fonte: Veja Saúde

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Alguns erros cometidos por quem faz dieta!

7th abril, 2015 by Danny Mou

Por serem unanimidade entre quem vive tentando emagrecer, alguns comportamentos e alimentos adotados sem medo podem acabar prejudicando a sua dieta. Certas posturas exigentes ou permissivas demais devem ser avaliadas com cuidado. A nutricionista da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem Estar Beatriz Botequio montou um guia com os erros mais comuns cometidos por quem quer perder peso e as orientações que podem fazê-la não cair nessas armadilhas.

.
Achar que queijo branco é excelente para controlar o peso e substituir o queijo amarelo
Dica: uma fatia de 30g de queijo tipo minas tem 66 calorias, enquanto uma porção fina (15g) de mussarela possui 46. Por ter a fama de bonzinho, o queijo branco normalmente é consumido em pedaços maiores, ou seja, não é a melhor opção sempre. Além disso, não é necessariamente mais saudável, já que, como os outros queijos, é rico em gorduras saturadas, que podem aumentar o colesterol e comprometer a saúde do coração. Se preferir o queijo branco, escolha a versão light. Para variar, opte por uma fatia de mussarela de vez em quando. Ou ainda, por peito de peru misturado com uma colher de sopa rasa de requeijão light (40 calorias) ou de maionese light (29 calorias).

.
Cortar a banana do seu cardápio
Dica: a banana sempre levou fama de calórica. Mas você sabia que uma unidade média tem só 78 calorias? Além disso, ela é rica em fibras insolúveis, que driblam a fome e a produção excessiva de insulina. A banana ainda preserva a flora intestinal e contém vitamina B6, que alivia a TPM. A fruta também possui triptofano, que favorece a formação do hormônio da alegria e bem-estar, a serotonina.

.
Reduzir o consumo de carboidrato somente à noite
Dica: muitas pessoas pensam que comer alimentos ricos em carboidratos, como pão, arroz e batata, após às 18h é proibido. Realmente o metabolismo no período da noite apresenta menor atividade, mas o corpo continua funcionando até quando você dorme. Portanto, não há diferença se você consumir carboidrato de dia ou de noite, desde que ele esteja em quantidade adequada.

.
Exagerar no final de semana por pensar que esforço durante a semana é suficiente
Dica: em um ano, os dias que compreendem os finais de semana somam 104. Se, em cada um desses dias, você incluir 100 calorias a mais da recomendação diária, no fim de um ano pode ter engordado 1,5 kg. Se o excesso for 1000 calorias, o prejuízo pode ser de 15kg. Agora que já sabe, não exagere tanto!

.
Se entupir de produtos light
Dica: ser light não significa não ter calorias, açúcares ou gorduras. Significa ter calorias reduzidas pela diminuição de algum nutriente. Esses produtos ajudam a ficar dentro do limite calórico diário, mas não são sinônimos de sucesso garantido e precisam ser consumidos moderadamente.

.
Comprar sempre pães integrais com grãos esperando que eles engordem menos
Dica: eles são realmente saudáveis, devido a seus altos teores de fibras, gorduras saudáveis, vitaminas do complexo B e fotoquímicos. Mas, na hora da escolha do pão, o importante é avaliar no rótulo a quantidade de calorias por porção e a quantidade de fibras, que deve ser de, no mínimo, 3g por porção.
Fonte: Portal Minha Vida

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »