Pedras na Vesícula (relato)

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

>> 28/05/08: UM ANO DEPOIS!
Hoje, completa 1 ano que passei pela retirada da vesícula. Aproveito para relatar aqui, que minha vida sempre foi e continua absolutamente normal.

A vesícula não me fez falta nenhuma! 8)

O funcionamento do meu intestino é ótimo, principalmente pq diariamente como vários alimentos ricos em fibras; além de tomar bastante água. A tão falada “urgência evacuatória”, nunca aconteceu comigo.

Durante esse 1º ano de vida sem vesícula, tive duas crises de diarréia. A primeira foi causada pela ingestão de amendoim. Aliás, eu tenho esse probleminha com amendoim, desde adolescente! E a segunda, mais forte, foi causada por um vírus. Então, nenhuma delas teve relação com a ausência de vesícula.

Continuo me alimentando normalmente. Já tinha três restrições alimentares e elas continuam existindo: melão, melancia e pepino.

Eventualmente, sinto um gosto amargo na boca, principalmente após a ingestão de qualquer alimento adocicado (yogurte, frutas, chocolate, etc), que os médicos acreditavam ser causado pela vesícula empedrada… Resolvo tomando chá de boldo durante 2 ou 3 dias.

No mais, está tudo ótimo e me sinto muito feliz por ter resolvido esse problema há 1 ano. Adiei muito essa cirurgia e, no final das contas, foi tudo muito mais simples e tranqüilo do que eu podia imaginar!


Imagem do Ultra-som realizado em 12/04/07

A descoberta das pedras…

Eu descobri as pedras, através do Ultra-som do Abdome Total, realizado em fevereiro de 2005. Foi um choque para mim, pois apesar de estar obesa mórbida naquela época, todos os meus exames sempre deram absolutamente normais! E, naquele fatídico dia, descobri ao mesmo tempo: as pedras e a gordura no fígado (esteatose hepática). Passei esse tempo todo, completamente assintomática! Acabei retirando a vesícula mais de 2 anos depois e nunca tive nenhuma crise de cólica; o que considero uma grande sorte! :o )

A gordura no fígado sumiu completamente, quando realizei novo exame de ultra-som, 1 ano após a Gastroplastia. E agora, depois da Colecistectomia, fiquei definitivamente livre da vesícula empedrada.
A vesícula não foi retirada junto com a Gastroplastia?

Essa é uma questão que já respondi muitas vezes… O meu cirurgião, Dr. Marcelo Roque, não gosta de realizar as duas cirurgias em conjunto, por videolaparoscopia: Gastroplastia e Colecistectomia. Ele acha que aumentam os riscos, pois somos pacientes obesos mórbidos. Além disso, a técnica utilizada na Gastroplastia, requer furinhos no centro do abdome e do lado esquerdo; estando a vesícula localizada no lado direito. Ao todo, seriam os 4 furinhos da Gastro + 3 furinhos da Colecto + 1 furo maior em conjunto para as duas. O Dr. Marcelo me orientou a fazer a retirada da vesícula depois de magra, pois seria uma cirurgia tranqüila e rápida. Ele sempre comenta de um paciente que realizou as duas, a Gastroplastia foi um sucesso e ocorreu problema na vesícula, sendo necessária a conversão para “campo aberto”.

Eu resolvi seguir a orientação dele e esperar. O meu grande medo, antes da Gastroplastia, era sentir dor. Eu tive uma recuperação absolutamente fantástica e sem dores. Mas, quem poderia garantir que seria assim? Se eu tivesse essa certeza ANTES, talvez tivesse insistido em realizar as 2 cirurgias ao mesmo tempo… Carreguei esse peso na consciência durante muito tempo! Conhecço algumas pessoas que fizeram isso e foi tudo muito bem. Inclusive, operados por outros cirurgiões do próprio Instituto Garrido e por vídeo. Mas, cada cirurgião adota um procedimento e, se confiamos no nosso, devemos seguir suas orientações, ou então, trocar de médico!

O tempo passou, emagreci muito e chegou a hora de resolver a questão da vesícula!
O pré-operatório

Foi rápido, com apenas duas consultas e alguns exames de rotina:
• Sangue • Urina • Eletrocardiograma • Ultra-som Abdome Superior • Raio-X Tórax

No meu caso específico, o eletro apresentou uma pequena alteração, então precisei de exames complementares: Ecocardiograma com Doppler e Holter de 24h + laudo do cardiologista, liberando para a cirurgia.

Como tive uma baixa na taxa de ferritina, também foram necessárias duas injeções de Noripurum Endovenoso.
A véspera da cirurgia

Foi um dia normal, de alimentação normal. Apenas foi exigido jejum total (inclusive água), à partir das 21h do dia 27/05. Então, deixei para jantar mais tarde, um prato de sopa bem pedaçuda de carne com legumes e, alguns minutos antes de iniciar o jejum, tomei 2 copos grandes de água. Acho essa a pior parte… ficar em jejum total!

A malinha já estava preparada, com pouca coisa, pois seria uma passagem rápida pelo Hospital.

Os exames estavam todos separados dentro de uma pastinha, juntamente com cópia da autorização, a carteirinha do convênio e o RG.

Indo para o Hospital e a Internação

Acordei cedinho e precisei apenas de 20 minutos para me arrumar. Afinal, escovar os dentes, pentear os cabelos e vestir a roupa que já estava separada é rapidinho.

Saímos de casa e ainda estava escuro. E não tinha trânsito algum. Só mesmo antes das 6h da matina para não ter trânsito em Sampa City…

A internação foi rapidinha, com um monte de papéis para assinar. Quando fui internar para a Gastroplastia, li tudo atentamente. Desta vez, só conferi meu nome, o nome do médico e o procedimento que ia ser realizado.

O quarto indicado era o nº 219, ao lado do Centro Cirúrgico. Gostei da localização, apesar de não ter vista externa. Mas tudo bem, ia ficar tão pouco tempo lá dentro mesmo.

Assim que entrei no quarto, passou a enfermeiea para avisar que estavam me chamando, pois minha cirurgia ia ser antecipada. Olhei para o relógio: eram 6h33. Aconteceu exatamente a mesma coisa, quando da Gastroplastia. Mas, desta vez, minha reação foi muito diferente! Eu disse: “Oba, vamos logo resolver isso!”.

Mal tive tempo para preencher o formulário para o anestesista, colocar o aventalzinho azul, que a maqueira já chegou. A enfermeira tirou rapidinho meus sinais (temperatura e pressão arterial) e abriu a porta. A maca entrou, eu deitei sozinha e me cobriram com o lençol.

Saímos do quarto e meu marido veio se despedir com um beijinho. E eu disse para ele: “Daqui a pouco, estou de volta”.

Ainda brinquei com a maqueira, dizendo que se fosse antes da Gastroplastia, que ela jamais conseguiria me levar sozinha!
Chegando no Centro Cirúrgico

Fui o tempo todo com o pescoço erguido, olhando o caminho. Não estava com medo algum e nenhuma lágrima apareceu.

O centro cirúrgico preparado era o de nº 21, exatamente o mesmo onde estive pouco tempo antes, assistindo a cirurgia do Luciano. Eu conheço cada cantinho daquela sala e, isso, de alguma forma, me tranqüilizou ainda mais.

Fui recebida pela instrumentadora cirúrgica da equipe, a Erica; uma moça muito bem humorada. Encostaram a maca na cama e eu passei de uma para a outra, com facilidade. Me colocaram um cobertor, pois estava bastante frio.

Fiquei o tempo todo conversando e brincando com a Erica, pois demorou muito o preparo. Ela colocou aquela plaquinha na minha coxa e explicou que era necessário, por causa do bisturi elétrico.

Um pouco depois, chegou outro enfermeiro e começou com os preparos: colocou as ventosas que medem os batimentos cardíacos, o oxímetro no dedão, o holter de pressão arterial e fez a punção na veia. Eu perguntei se ele era bom de veia; só para descontrair. E ele respondeu que essa era a primeira vez que ele estava fazendo! E foi tranqüilo, mas doeu um pouquinho a picada.

Então, entrou o Dr. Marcelo e me cumprimentou. Ele me explicou, que resolveu antecipar a minha cirurgia, pois era um caso simples. A 1ª cirurgia agendada, sería muito mais demorada e ele achou melhor inverter; senão eu ficaria horas esperando no quarto. O paciente ia retirar a Banda Gástrica e fazer a Capella. Eu achei bem melhor mesmo, pois estava prestes a resolver meu problema e ficar esperando, causa uma grande ansiedade…

Eu pensei, só falta o anestesiologista ser o Dr. João Almeida! hehehe
Mas era o Dr. Raimundo, um senhor muito simpático e carinhoso. Assim, que ele entrou e falou comigo, senti a maior segurança. Eu disse que tinha medo de acordar entubada e ele me garantiu que isso é extremamente difícil de acontecer. Aí, fiquei mais aliviada.

Os últimos preparativos foram feitos e o Dr. Raimundo veio com a injeção e disse que eu iria sentir um soninho gostoso. Me lembro perfeitamente de ter perguntado: “E aquela máscara com vaporzinho?” e ele respondeu que seria depois. E eu senti mesmo uma sonolência e fechei os olhos.
Acordando da anestesia

Abri os olhos, com a sensação de que havia passado um segundo. Eu já estava na Sala de Recuperação e vi o Dr. Raimundo e o enfermeiro ao pé da cama. Ele disse que a cirurgia tinha acabado, que era para eu descançar, que estava tudo bem. Eu disse e parecia que minha voz era de bêbada: “Eu quero acordar!”. Os dois riram e o Dr. Raimundo disse; “Mas você já está acordada, minha querida. Agora durma um pouco, que mais tarde eu venho te liberar para o quarto”.

O sono era muito grande; eu ficava toda hora apagando-acordando. Não sentia dor, mas tinha uma “sensação dolorida” bem fraquinha. E, como aconteceu na Gastroplastia, não tive coragem de colocar a mão no abdome, para “sentir” o que tinha sido feito!

Acordar da anestesia é realmente muito ruim. As idéias estão um pouco atrapalhadas, a gente perde completamente a noção do tempo… Acho que esse é o pior momento da cirurgia!

E aconteceu uma coisa que me deixou um pouco abalada… Enquanto fiquei na Sala de Recuperação, passaram por lá 3 bebês, que também tinham sido operados e gritavam muito. Imagina, se a gente – que supostamente, sabe o que está acontecendo -, imagina um bebê ou criança pequena, como deve se sentir assustado! Eu não vi absolutamente nada e sei que eram crianças bem pequenas, pelo jeito que os enfermeiros falavam com eles.

Acabei ficando 2h na recuperação… Na hora que veio me liberar para o quarto, o Dr. Raimundo explicou que ele prefere junto com a anestesia, já aplicar os medicamentos para dor, que acabam potencializando essa sonolência, porém, garantem que eu acorde sem sentir dor alguma. Então, ele aplicou Tramal e Buscopam antes e, realmente, acordei sem dores.

Ainda fiquei alguns momentos no corredor, até chegar o enfermeiro que me levaria para o quarto.

Chegando no quarto

Cheguei no quarto e meu marido cochilava na poltrona. Ele tinha tido uma forte crise de enxaqueca no sábado e ainda não estava totalmente recuperado…

O enfermeiro encostou a maca ao lado da cama e eu passei de uma para a outra, com o cobertor. Minha primeira lembrança foi: colocar meu piercing de volta! Chamamos a enfermeira e meu marido pegou o potinho, onde eu tinha colocado o piercing. A enfermeira tentou, tentou, tentou… mas não conseguiu colocá-lo. Na verdade, ela estava meio agoniada e resolveu chamar outro enfermeiro, que ela afirmou ser mais jeitoso! Então, o outro enfermeiro também não conseguiu… foi até onde deu, mas começou a sair um pouco de sangue e resolvemos parar. O buraquinho já tinha fechado na parte de dentro do nariz! Mais uma vez, fiquei sem meu piercing…

Logo em seguida, entrou a Dra. Juliana, para saber como eu estava. Eu disse que estava tudo bem, tranqüilo e sem dores. Ela liberou uma dieta hipo-calórica, chamou a enfermeira e mandou trazer uma sopa para mim. Ela também avisou que o potinho com as pedras retiradas da vesícula, estava junto com meus exames, na sacola plástica. Ela também disse que tinha uma amiga minha lá fora, perguntando se podia me visitar. Eu concordei, é claro.

Então, recebi a visita da Aline, que estava acompanhando a sogra (que tinha sido operada na 6ª feira, também com o Dr. Marcelo). Já conhecia a Aline, das reuniões do Grupo de Apoio Psicológico com a Dra. Aída. Fiquei feliz em receber sua visita! Ela ficou só um pouquinho.

Finalmente, depois que todos saíram do quarto, resolvi levantar para fazer xixi. Meu marido fez questão de perguntar no Posto de Enfermagem, se eu podia levantar sozinha. A resposta foi positiva, mas, primeiro sentar na cama por alguns segundos e depois levantar. Segui as orientações e fui ao banheiro. Aproveitei e coloquei meu pijaminha novo e escovei os dentes. Me senti muito melhor assim!

Pouco tempo depois, chegou minha sopa, torradas e banana cozida. Tomei metade da sopa, bem devagar. Estava muito gostosa, de mandioquinha com carne. Também comi as torradas. Não quis o suco de maracujá, pois acho muito ácido. E a banana estava completamente sem gosto… deixei de lado.

Estava tudo muito bem! Meu marido precisou sair para resolver alguns assuntos e eu fiquei sozinha, na boa. Várias vezes, a enfermagem vinha para trocar soro, aplicar remédio, essas coisas. Tudo que apareceu para comer, eu aceite! hehehe

Enfim, a tarde passou sem nenhum incidente. Somente levantei para caminhar no final do dia, pois estava com muita preguiça, devido a anestesia e aos analgésicos… Depois que meu marido retornou, caminhamos juntos pelos corredores do Hospital e ele me contou, que o Dr. Marcelo ligou diretamente do Centro Cirúrgico, assim que minha cirurgia terminou (durou menos de meia hora o procedimento), avisando que tudo tinha transcorrido bem e que eu ficaria algumas horas na recuperação. Meu marido ficou aliviado, pois é sempre bom receber essa notícia. Mesmo assim, cerca de meia hora depois, o Dr. Marcelo passou pelo quarto, para falar pessoalmente com ele e reforçar que eu estava ótima.

Eu senti um pouco de gases, não era dor, mas sim um incômodo. Chamei a enfermeira e pedi Luftal. Como não estava prescrito na minha ficha, eles ligaram para o Instituto Garrido e foi liberado. A enfermeira me contou isso, quando perguntei o motivo da demora (cerca de 10 minutos), para trazer o medicamento.

A noite também foi calma e teve pouco entra-e-sai no quarto (bem diferente da Gastroplastia!); na verdade, só me lembro de uma troca de soro.

A manhã seguinte

Acordei bem cedo, pois queria tomar banho e ficar prontinha, esperando a hora da alta. O enfermeiro chefe, Sergio, o mesmo de quando eu fiz a Gastroplastia veio saber se estava tudo bem e se eu queria mesmo tomar banho? Eu respondi que era o que eu mais queria, naquele momento! :o )

O café da manhã foi meio fraco, pois eu só tomo leite desnatado; mas comi torrada com geléia de morango e um mini pão com manteiga. Também recusei café e o suco…

A enfermeira veio para retirar o soro da veia. Assim que fiquei livre, tomei meu banho, escovei os dentes e me vesti. Aproveitamos para tirar algumas fotos!

Depois, foi ficar esperando… Recebi a visita do Dr. Raimundo, o anestesiologista. Ele queria saber se eu estava bem, se tinha sentido alguma reação desagradável, essas coisas… Respondi que não senti nada e nenhuma dor. Ele, mais uma vez, explicou sobre o procedimento de dar o Tramal junto com o anestésico, assim o paciente demora um pouco mais para despertar, porém, já acorda livre de dor. Uma simpatia esse médico!!

A Dra. Juliana chegou e conversamos um pouco os quatro. Como eu estava ótima, ela foi preparar a minha alta. De receita médica, apenas Lisador, caso necessário. E posso dizer que não foi necessário!

Me despedi da Dra. Juliana com abraços e beijos, como sempre. Ela recomendou que eu marcasse um retorno em 2 semanas. Mas, como sou adiantada, já estava com esse retorno marcado! hehehe

As orientações foram simples:
• dieta normal, sem alimentos gordurosos;
• dirigir somente após 15 dias;
• evitar subir/descer escadas;
• não carregar peso e não fazer esforço físico.

No mais, foi esperar a burocracia do Hospital, para concretizar a minha alta…
28h depois de chegar, livre da vesícula empedrada, eu voltava para casa, tranqüila e sem dores.

Bom, esse foi meu relato pessoal. Eu tinha receio de passar por outra cirurgia, mas foi absolutamente fácil. Perto da Gastroplastia, a Colecistectomia é moleza. A única parte realmente chata, é o despertar após a anestesia. Aquele estado de sonolência me incomoda… Mas isso vale para qualquer cirurgia!

O mais importante, é que estou definitivamente livre desta “bomba-relógio”! :o )

Resumo da Minha Colecistectomia

• A cirurgia durou meia hora.
• Não usei dreno.
• O cirurgião usou ponto de plástica, com uma linha que é absorvida pelo organismo.
• Acordei sem dores, mas bastante sonolenta.
• Logo que cheguei no quarto, levantei para ir ao banheiro.
• No mesmo dia, fiz todas as refeições (dieta hipocalórica).
• Estava autorizada uma Colangiografia, um tipo de Raio-X feito durante a Colecistectomia, mas no meu caso, não foi necessário.
• A vesícula e uma das pedras foram enviadas para análise em laboratório e o resultado foi negativo.
• Fiquei internada apenas 28h.
• Minha recuperação foi excelente e absolutamente sem dores.
• Não tive diarréia no pós-operatório.
• Retorno médico com 15 dias e após 3 meses.

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 6 COMENTÁRIOS »

Colelitíase & Colecistectomia

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

>> Passei por uma cirurgia para retirada da vesícula, Colecistectomia, no dia 28/05/07. Nesse subtítulo, vou explicar sobre a vesícula, sobre os cálculos biliares, sobre a cólica biliar, sobre a colecistectomia e fazer um relato completo da minha cirurgia e recuperação.

A VESÍCULA BILIAR

A vesícula biliar tem cerca de 7-10cm de comprimento em humanos e tem uma aparência verde-escuro devido ao seu conteúdo (bile), não ao seu tecido. É conectada ao fígado e ao duodeno através do trato biliar.

Sua principal função é coletar a bile produzida pelo fígado e concentrá-la. Quando a pessoa se alimenta, a vesícula biliar se contrai liberando a bile, a qual passa por um canal chamado colédoco, até chegar ao intestino e encontrar o alimento.

Quando a vesícula biliar deixa de funcionar por doença ou é extraída cirurgicamente, os canais biliares intra e extra-hepáticos dilatam para conter mais bile. Após as refeições, o esfíncter de Oddi se abre e a bile, com pressão aumentada, escorre para o intestino. Sem a vesícula, embora o esguicho seja menor, a quantidade de bile é suficiente para desempenhar sua função digestiva.

CÁLCULOS BILIARES

Cálculos biliares ou cálculos das vias biliares, tecnicamente são chamados de litíase biliar. Litíase vem do grego “lithos” – pedra. De fato, cálculos são pedras mais ou menos duras, de variado tamanho e número, geralmente formadas a partir do colesterol e/ou sais biliares contidos na bile. Costumam formar-se lentamente e aumentar progressivamente de tamanho e número.

Cálculos biliares podem existir em

qualquer porção da via biliar, mas aparecem comumente na vesícula e com menor freqüência no colédoco.

Houve muito progresso no entendimento do processo de formação das pedras na vesícula biliar. Os pesquisadores acreditam que ela é causada por uma combinação de fatores, incluindo química corporal herdada, peso corporal, mobilidade da vesícula biliar, e talvez dieta.

Cálculos de colesterol se desenvolvem quando a bile contém muito colesterol e não possui sais biliares suficientes. Além da alta concentração de colesterol, dois outros fatores parecem ser importantes para causar a colelitíase. O primeiro é com que freqüência e quão bem a vesícula biliar se contrai; o esvaziamento incompleto e infreqüente da vesícula biliar pode fazer com que a bile se torne muito concentrada e contribui para a formação dos cálculos. O segundo fator é a presença de proteínas no fígado e bile que ajudam ou a promover ou inibir a cristalização do colesterol em pedras na vesícula biliar.

Além disso, níveis aumentados do hormônio estrógeno como resultado de uma gravidez, terapia hormonal, ou o uso de pílula contraceptiva oral, podem aumentar os níveis de colesterol na bile e também diminuir o movimento da vesícula biliar, resultando na formação dos cálculos.

Não foram provadas relações claras entre a dieta e a formação dos cálculos. Entretanto, dietas pobres em fibras, com altos níveis de colesterol e com alto teor de amido já foram sugeridas como contribuintes para a formação dos cálculos na vesícula biliar. Outros fatores nutricionais que podem aumentar o risco de colelitíase são perda rápida de peso, constipação e pequeno número de refeições por dia.

Estas pedras podem bloquear a saída da vesícula biliar, impedindo o fluxo natural da bile , ocasionando um aumento da pressão dentro da vesícula, levando a um inchaço (edema) e conseqüentemente a infecção . Este estado é conhecido como colecistite aguda. A pessoa apresenta uma dor intensa tipo cólica em baixo da costela direita, com vômitos e posteriormente febre.

Se uma pedra pequena conseguir passar para o canal da bile a pessoa pode ficar amarela e ter complicações severas.

Os cálculos biliares podem permanecer silenciosos durante anos ou se manifestarem a qualquer momento. Quando um cálculo da vesícula biliar obstrui o ducto cístico, seu canal de drenagem pára o colédoco, provocando contração da parede muscular da vesícula que se traduz por dor em cólica – cólica biliar. Quando o cálculo se encrava no ducto cístico, impedindo a passagem de bile, esta é retida e desencadeia um processo inflamatório agudo – colecistite aguda. Habitualmente, nessa bile retida, crescem bactérias e a vesícula obstruída se comporta com um abscesso e pode ser o desencadeamento de doença grave.

Os cálculos estão presentes ao redor de 10 a 20% dos adultos entre 35 e 65 anos, predominando entre as mulheres que estiveram grávidas, as que têm excesso de peso e as usuárias de hormônios estrógenos e de pílulas anticoncepcionais.

Pessoas com Diabete Melito e Cirrose estão mais sujeitas a ter pedras biliares do que a população geral.

SINTOMAS: Grande parte dos portadores de litíase vesicular são assintomáticos.

  • Os pacientes sintomáticos podem apresentar dor na parte superior e central do abdome (região epigástrica) ou no quadrante superior direito do abdome.
  • Na cólica biliar a dor costuma iniciar-se subitamente e termina gradativamente.
  • A dor geralmente é intensa, contínua, com períodos de exacerbação, as vezes irradiando para as costas.
  • É freqüente a presença de náuseas e vômitos.
  • Devido a localização e irradiação da dor, pode ser confundida com problemas do estômago, renais, cardíaco ou até mesmo da coluna vertebral.

COLELITÍASE é termo médico para denominar presença de pedras na vesícula biliar.

CÓLICA BILIAR

Calcula-se que a metade das pessoas com Colelitíase nada sente.

A dor ocorre em 75% dos casos, lembra torcedura, e é o sintoma mais marcante e freqüente. Aparece na boca do estômago e, na medida em que se intensifica, localiza-se mais à direita, junto à borda das últimas costelas. Pode ser irradiada para a região dorsal e para o ombro direito, bem como para o lado esquerdo do abdômen superior, como uma faixa. Geralmente é de grande intensidade, durando até uma hora nos casos não complicados; por apresentar altos e baixos, faz-se analogia com cólica.

Náuseas e vômitos acontecem quando a dor está no auge. Cabe o comentário de que os vômitos podem ser amarelados pela presença de bile refluída para o estômago e não por se tratar de uma cólica biliar.

Raio-X durante uma colecistectomia laparoscópica

Febre representa a associação de inflamação na vesícula. Febre alta com calafrios pode mostrar concomitância de Colangite, uma infecção dos canais biliares provocada por bactérias normalmente presentes no duodeno e que, pela obstrução biliar, tem oportunidade de subir por esses canais.

A icterícia – cor amarelada da área branca dos olhos e da pele – está presente quando há obstrução, mesmo parcial, do canal biliar principal (coledocolitíase) ou quando se soma uma infecção, como a acima mencionada. Nesses casos a urina fica escura (colúria), do amarelo ao marrom, o que pode ser confundido com “urina vermelha de sangue”; ajuda a confirmar colúria, a cor amarela da espuma que aparece na água do vaso sanitário.

Ao exame clínico, há nítida dor à palpação profunda do quadrante superior direito do abdômen, principalmente, junto às costelas deste lado, mais ainda durante uma inspiração profunda. Não é comum, mas ocorre da vesícula estar dilatada a ponto de ser palpável e dolorosa, sugerindo uma inflamação aguda ou agudizada com possibilidade da formação de pus, como complicação.

COLECISTECTOMIA

A colecistectomia, cirurgia de retirada da vesícula biliar, é o tratamento de escolha e definitivo.

Até há algum tempo atrás, predominava a idéia de nada fazer se o paciente nada sentir.

Nos dias atuais, até pelo maior conforto da técnica vídeo-laparoscópica há quem indique a colecistectomia mesmo nos assintomáticos, desde que não haja contra-indicações face à saúde geral do paciente.

O objetivo de operar mesmo as pessoas sem sintomas é evitar as possíveis complicações provocadas pela presença de cálculos e a necessidade de cirurgias de urgência.

Em 1987 Mouret, cirurgião francês de Lyon, realizou a primeira colecistectomia por laparoscopia. Em bem menos de 10 anos o novo método foi aceito em todo mundo, tornando-se, indiscutivelmente, a cirurgia de eleição para as doenças da vesícula biliar. É indicada tanto para litíase não complicada quanto para colecistite aguda.
*Fontes: ABC da Saúde // Corpus Center // Wikipédia

.
.

>>Leia o relato completo da minha cirurgia!<<

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Hospital Santa Rita

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

Minha Avaliação do Hospital Santa Rita

O Dr. Marcelo me recomendou o Hospital Santa Rita, que conta com vários Centros Cirúrgicos especialmente equipados para a realização de videolaparoscopia e pessoal bem treinado para tratar gastroplastizados.

Centro Cirúrgico

>> Localização: Excelente, próximo a Av. Paulista e Metrô Ana Rosa.

>> Estacionamento: Caro no local e difícil na região. Melhor ir de táxi.

>> Internação: Pode demorar um pouco, por causa da fila de espera. No meu caso, demorou 40 minutos. Eu já tinha passado todos meus dados ao setor de Pré-Internação na véspera, por telefone, então não enfrentei burocracia. O Hospital já tinha a Autorização da Sul América em mãos. É necessário assinar o Termo de Internação e Responsabilidade e o Termo de Autorização de Tratamento do Paciente e preencher uma ficha de Avaliação Pré-Anestésica.

>> Aparência: O hall de recepção é amplo e bem decorado. Os sofás para espera são confortáveis. Fiquei no 3º andar, com corredores largos e pintura na parede agradável. Os postos de enfermagens são bonitos e bem decorados, com quadros e arranjos de flores naturais, trocados constantemente.

>> Conforto do Quarto: Meu 1º quarto era pequeno, mas tinha uma vista incrível! O segundo, era amplo, com uma poltrona reclinável deliciosa e um sofá-cama muito confortável para o acompanhante dormir. Banheiro grande, chuveiro bem quente e pia com gabinete de granito. Frigobar barulhento; não cheguei a usar. Cama computadorizada maravilhosa, mexe em várias posições e altura. Roupa de cama bem limpa e macia. O ponto negativo fica para a televisão. Pequena (menor que 14″) e colocada no alto do armário; fica difícil para ler legendas e até enxergar (por causa da sonolência, não é falta de óculos não! hehehe). Tem TV a cabo.

Quarto
>> Enfermagem: No geral, atendem bem. Os enfermeiros trabalham com escala, então o rodízio é bem grande. Isso traz aspectos positivos e negativos: aquela enfermeira legal e carinhosa não volta no dia seguinte; a enfermeira sem jeito, também não! Às vezes, a demora para atenderem é grande, sendo até necessário o acompanhante ir buscar alguém no Posto de Enfermagem. Os enfermeiros do Centro Cirúrgico e da Sala de Recuperação, foram nota 10! O destaque ficou para a Auxiliar de Enfermagem Ellen, carinhosa, jeitosa e muito agradável! Ela passou 12h comigo, das 7h às 19h do dia 18/08/05. Pena que não voltou mais…

>> Equipe de Manutenção: Essa foi a parte terrível! No 1º quarto, a cama computadorizada não estava funcionando. O técnico demorou mais de 8h, e só veio depois de inúmeros chamados. Não teve conserto na hora, tive que mudar de quarto. No dia seguinte, os problemas continuaram: mais de 7h para trocar uma lâmpada queimada no banheiro e o técnico se recusou a desentupir o vaso sanitário. Pode uma coisa dessas? Depois de reclamar bastante, dizendo que a descarga é muito fraca, sem pressão, o técnico mau humorado finalmente desentupiu o vaso.

>> Equipe do Hospital:

Fisioterapeuta – Dr. Oberdan – Gentil e carinhoso, me ensinou a usar o Respiron e a fazer exercícios respiratórios para as pernas.

Anestesiologista – Dr. João Almeida – Alto, bonito… O próprio Luka Kovac de ER! hehehe. Falando sério, muito atencioso, tranqüilo e gentil. Foi a última pessoa que eu vi antes de apagar e a 1ª, quando acordei da cirurgia. Falou comigo na Sala de Recuperação e depois passou visita no quarto. Tive contato com 3 outros anestesiologistas: uma médica, que me acalmou no quarto, quando minha cirurgia foi antecipada em quase 3 horas; um médico que liberou minha alta da Recuperação para o quarto; outro médico, que passou visita a meia-noite do dia da cirurgia e receitou uma injeção, pois eu não estava conseguindo dormir. Talvez, esse contato todo com os anestesiologistas, tenha sido ocasionado pelo uso da Bomba de PCA!

>> CONCLUSÃO: Tive um bom atendimento e fiquei satisfeita. Recomendo como opção, para quem está decidindo em qual Hospital operar!
Para conhecer o Hospital Santa Rita, acesse o site www.hospitalsantarita.com.br

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Sul América (Convênio)

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

Realizei grande parte dos exames através da Sul América e não precisei nem de autorização prévia.

A cirurgia por vídeo foi autorizada sem burocracia, em menos de 18 horas após a solicitação, sem a necessidade de perícia médica.

Como se trata de plano empresa, não tive que cumprir nenhum prazo de carência.

A avaliação psicológica eu fiz particular, com o nosso psicólogo e amigo, Dr. Fernando Freitas, que utilizou as informações colhidas durante meu tempo de psicoterapia com ele (2003-2004). Eu tinha direito a apenas 1 consulta com psicólgo pelo convênio, o que não é suficiente para uma avaliação psicológica completa. São necessárias 3 ou 4 consultas.

O meu plano deu cobertura total para a internação, com exceção da consulta prévia com anestesista e utilização da Bomba de PCA (R$ 150,00).

Se você está tendo dificuldades com seu convênio médico, não desanime! Antes da Sul América, eu tive que enfrentar a burocracia criada pela Medial Saúde, para adiar a cirurgia o máximo possível. Mas fui realizando todos os exames possíveis, que foram aproveitados depois pelo Dr. Marcelo. Com exceção do eletrocardiograma, que tem validade de apenas 3 meses, e alguns exames de sangue, os demais valem por até 1 ano.

Minha cirurgia para retirada da vesícula (Colecistectomia) por vídeo, foi autorizada pela Sul América, sem a menor burocracia também.

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 1 COMENTÁRIO »

Equipe Médica

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

Minha 1ª consulta no Instituto Garrido foi no dia 04/07/05, com o Dr. Marcelo Roque de Oliveira. A espera foi grande, mas valeu a pena! 45 dias depois, no dia 17/08/05, realizei a cirurgia Capella com anel por vídeo, no Hosp. Santa Rita.

O Instituto Garrido conta com várias Equipes Cirúrgicas, mas estou comentando apenas sobre a Equipe que realizou a minha cirurgia!

Rua Maestro Cardim, 560 – 5º andar – Bela Vista – São Paulo – SP
Fone/Fax: (11) 3286-2529 – Site: http://www.institutogarrido.com.br

Dr. Marcelo e eu

Dr. Marcelo Roque de Oliveira – Cirurgião Chefe
Formado pela PUC-SP em 1984, fez Residência e
Pós-Graduação no Hospital Beneficência Portuguesa.
Tornou-se Cirurgião da Equipe do Dr. Garrido em 1998.
Especialista em cirurgia videolaparoscópica.

Gostei do Dr. Marcelo, desde a 1ª consulta. Ele sempre esclareceu todas as minhas dúvidas, de forma clara e simples. E olha que a minha “listinha” é bem grande!!! Ele transmite seriedade e segurança, o que é excelente! No Centro Cirúrgico, ele apertou minha mão e me cumprimentou, antes que eu apagasse. Após a cirurgia, ele contou para meu marido, que falou comigo e eu reclamei que estava com dor. Não tenho lembrança deste fato. Ele também passou visita no Hospital, no 2º dia. Fez piadinha (“Água colorida, pode beber a vontade. Para mastigar, só gelatina dietética!”) e falou sobre minha alta na manhã seguinte. Não é costume o Chefe da Equipe passar a visita, mas acredito que ele veio pessoalmente, para desfazer a má impressão do dia anterior, quando meu marido precisou reclamar no próprio IG que nenhum médico tinha vindo e já era 13h. Ele se desculpou pelo ocorrido, inclusive. Sei que minha cirurgia foi um sucesso, pois estive nas mãos de um excelente cirurgião!

Dra Juliana e eu

Dra. Juliana de Oliveira Pitelli – Cirurgiã Assistente
Formada pela Universidade Severino Sombra, Vassouras – RJ em 1997, fez Residência e Pós-Graduação no Hospital Beneficência Portuguesa.
Cirurgiã da Equipe do Dr. Garrido de 2001 à 2007.

A Dra. Juliana é um amor! Ela já recebe a gente com um beijinho no rosto! Muito simpática e tranqüila, também. Esclarece bem as nossas dúvidas. Minha última consulta antes da cirurgia foi com ela, pois o Dr. Marcelo chegou atrasado. Ela me deixou bem confiante! Conversou comigo no Centro Cirúrgico e depois passou visita no 1º e no 2º dia.

Dra. Aída e eu

Dra. Aída Regina Marcondes Franques – Psicóloga
Formada pela PUC de Campinas, em 1974.
Pós-graduação em Transtornos Alimentares, na UNICAMP, em 1998. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica (SBCB). Avaliação, acompanhamento e psicoterapia de pacientes obesos mórbidos para o Instituto Garrido, desde 1996.

Conheci a Dra. Aída através das reuniões mensais do Grupo de Apoio Psicológico no Instituto Garrido. Adorei, desde a 1ª reunião. A Dra. Aída é extremamente gentil e simpática. Conduz toda a reunião com firmeza e tem sempre uma palavra reconfortante. É bastante experiente no tratamento com pacientes obesos mórbidos e operados. Suas orientações são importantíssimas.

Dra. Ana Palma e eu

Dra. Ana Palma Kareiva Simioli – Endocrinologista
Formada pela Faculdade de Medicina de Vassouras – RJ em 1987. Especialização em Endocrinologia e Metabologia no Hospital das Clínicas de São Paulo. Pós-graduação em Cirurgia da Obesidade pelo Hospital Beneficência Portuguesa.

Minha 1ª consulta com a Dra. Ana Palma foi ontem (29/11/05). ADOREI! Ela é super simpática e tranqüila. Respondeu com tranqüilidade minhas várias perguntas. Disse que meus exames estão ótimos e meu emagrecimento também. Com toda certeza, farei meu acompanhamento com ela! Minha 2ª consulta (31/01/06) foi melhor ainda. Agora acertei na escolha e estou tendo um excelente acompanhamento pós-cirúrgico.

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 1 COMENTÁRIO »

Mastigando Novamente

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

>> 28/08/07:
Meu novo Cardápio Diário => para evitar crises de Hipoglicemia:

Café da Manhã
200ml de leite desnatado + Nescafé e adoçante
2 fatias de pão integral OU 1/2 pão sírio integral
1 fatia de peito de peru / blanquet de peru OU 1/2 fatia de presunto magro
1 fatia grossa de queijo branco OU 1 fatia fina de mussarela

Lanche da Manhã I
1 yogurte light com aveia em flocos OU granola (sem açúcar)
1 barrinha cereal light

Lanche da Manhã II ==> Antes de caminhar
1 banana pequena
2 torradas integrais com:
- cream cheese / polenguinho / requeijão (light) OU ricota // queijo branco

Almoço => até 250g
Carne vermelha + legumes OU ovo + feijão (ou outra leguminosa)
Salada crua (com proteína: atum, kani, queijo branco, peito de peru, etc)
Sobremesa: gelatina OU pudim diet OU fruta OU sobremesa láctea light

Lanche da Tarde I
1 yogurte light com aveia em flocos // granola (sem açúcar) OU
2 torradas integrais com:
- cream cheese / polenguinho / requeijão (light) OU ricota // queijo branco
1 copo de chá com pêssego light

Lanche da Tarde II
1 fruta
1 barrinha de cereal light

Jantar
Igual ao almoço

Lanche da Noite
Opção 1:
1 copo de chá com adoçante
2 torradas integrais com 1 colher (sopa) geléia diet
1 fatia grossa queijo branco

Opção 2:
1 copo de leite desnatado
6 mini cookies integrais

Este cardápio foi feito especialmente para mim, de acordo com meu paladar e para manutenção do meu peso.

>> 18/07/07:
Muitas pessoas me escrevem, perguntando o que eu como. Então, vou relacionar abaixo, alguns dos produtos que eu consumo (e recomendo):

• Requeijão Light: Danúbio. Já experimentei todas as marcas e essa é a mais saborosa.

• Cream Cheese Light: Philadelfia ou Danúbio. Os dois são deliciosos. Atualmente, eu amo passar cream cheese na torrada quentinha… hum!

• Yogurte Light: Corpus Duo de Morango, simplesmente delicioso.

• Sobremesa Láctea: Creamy Chocolate da Batavo; a única que eu tomo. É light e tem apenas 50 calorias cada potinho.

• Leite Desnatado: com a alta dos preços, compro a marca que está em promoção… Mas, tenho preferência pela Italac, Elegê e Parmalat.

• Queijo Branco: Gosto demais do Frescatino ou Danúbio. Não compro queijo branco light, pois acho horrível… O Vigor, não recomendo para ninguém, pois achei detestável!

• Ricota: Já experimentei várias e gostei de todas. A Cristina sempre tem um preço excelente.

• Torrada: Bauducco (levemente salgada) e Magic Toast Marilan.

• Pão de Forma: 7 Grãos da Pullman ou qualquer um da linha light Nutrela. Mas como o normal da Pullman também.

• Bolachas: Maizena (normal ou sabor chocolate) da Triunfo; Mini Triunfo Integral; Cookies Integrais (diversas marcas) e bolacha Cream Cracker (Adria ou Levíssima) não faltam aqui em casa!

• Refrigerante: Tomo bem pouco e somente Coca Light. H2OH! eu adoro!

• Suco e Chá: Eu, particularmente detesto suco natural… Só tomo se for de laranja lima ou melancia. Mas adoro suco (light) de Morango, Manga ou Pêssego das marcas Del Vale ou SuFresh. Chá, adoro de vários sabores (de saquinho). Também compro Chá Light Lipton Iced Tea, nos sabores pêssego ou limão.

• Adoçante: Só uso o Finn em pó. Na falta dele, o Zero Cal é passável…

Esses são os que eu me lembro agora…
Abaixo, coloco um exemplo de cardápio diário. Notem que eu não sou nutricionista e não estou recomendado à ninguém que siga esse cardápio! Estou apenas relatando o que eu como num dia normal.
Notem, que eu como bem mais do que há 10 meses.

Café da Manhã:
200ml de leite desnatado com Nescafé e adoçante
+ 2 fatias de pão de forma torrado (sem casca), com cream cheese
OU queijo branco

Lanche da Manhã:
1 banana prata
4 bolachas com mussarela ou patê de azeitona

Almoço (200g):
carne vermelha
4 colheres de legumes e/ou feijão e/ou ovo
Sobremesa: doce de banana com adoçante e canela

Lanche da Tarde:
igual ao lanche da manhã OU barrinha de cereal + fruta

Jantar:
Igual ao almoço
Sobremesa: Corpus Duo ou Creamy Light Chocolate

Ceia:
chá com adoçante + 5 cookies integrais
(se sentir fome: 1 sopinha instantânea individual)

>> 01/09/07:
A nutricionista me recomendou comer pães e bolachas integrais, no lugar de pão de forma comum e Club Social. Os produtos feitos com grãos escuros, além de serem menos calóricos, dão uma maior saciedade. E os produtos feitos com a farinha branca só engordam e são pobres de nutrientes. Além de não darem “sustança”. Engraçado, que eu estava lendo exatamente sobre esse assunto no Livro Dieta dos Deuses. Então eu comprei cookies integrais em 2 sabores deliciosos: Papaya com Cassis e Maçã com Banana. Escolhi o pão 7 Grãos da Pullman. Eu como pouco carboidrato nas refeições, então posso até 4 fatias de pão integral por dia. Porém, acho muito. Não me vejo comento tanto pão assim! Ela mandou acrescentar um pouco mais de proteína no lanche da manhã. O resto ficou praticamente igual. A quantidade por refeição é cerca de 200g. Esse cardápio foi feito especialmente para mim, de acordo com meu paladar e para manutenção do meu peso.

Café da Manhã:
200ml de leite desnatado com 1 colher de achocolatado diet
OU 200ml de leite desnatado com café e adoçante
+ 2 fatias de pão integral, com 2 recheios:
• ricota temperada
• requeijão light
• peito de perú defumado ou blanquet de perú
• peito de chester ou frango
• presunto magro
• queijo branco ou cottage
• polenguinho

Lanche da Manhã:
1 yogurt light com aveia ou cereal
OU 2 torradas integrais com queijo branco
+ 1 banana prata
(se sentir fome: + 1 ovo mexido)

Almoço:
120g de carne vermelha
4 colheres de legumes e/ou verdura OU omelete
sobremesa: mamão

Lanche da Tarde:
1 barrinha de cereal
+ 1 yogurte light OU queijo branco
OU lanche igual ao café da manhã

Jantar:
Igual ao almoço

Ceia:
chá com adoçante + 5 cookies integrais
(se sentir fome: trocar por 1 sopinha instantânea individual)

>> 13/06/06:
Daqui alguns dias completarei 10 meses de cirurgia. Não uso mais açúcar, só adoçante. Leite só desnatado. Troquei tudo por diet ou light. Aboli o refrigerante. Como diariamente, além da carne vermelha, frutas e legumes ou verduras. Minha alimentação está saudável. E eu estou muito feliz!

Bom, tenho que contar que tive meu 1º entalo! Foi no jantar de 6ª feira (09/06/06). Não sei dizer exatamente o que aconteceu, pois tenho certeza absoluta que mastiguei corretamente. Estava comendo carne desfiada e risoto de frango com legumes. Comi um pouco e fiquei cheia. Resolvi fazer uma pausa, pois comecei a sentir uma leve dorzinha. Em questão se segundos, a dor foi aumentando. Meu marido deu uns tapas nas minhas costas e eu levantei, para andar um pouco. A dor já estava insuportável e eu não conseguia nem falar. Senti o anel, literalmente, doer. Se é que isso é possível… Fui para o banheiro, achando que iria vomitar. Fiquei muito confusa na hora, não sabia direito o que fazer. Pedi para meu marido ir buscar um pouco de coca-cola, pois tinha lido vários relatos que ela ajuda a desentalar. Quando ele saiu, eu arrotei, puro ar mesmo. Passou na hora, impressionante, como se nada tivesse acontecido. Quando meu marido voltou, eu já estava bem. Tomei alguns golinhos da coca-cola mesmo assim e ainda dei mais um arroto pequeno e fiquei imediatamente com a sensação de estômago vazio. A dor passou, como que por encanto. Foi uma sensação horrível, que durou por uns 5 minutos. Pensei tanta coisa durante esse tempo… Só achei ótimo por estar em casa e não na rua. E, melhor ainda, por não estar sozinha com minha filha, pois ela ficou assustada com o ocorrido. Deixei meu prato dentro do microondas e, uma hora mais tarde, jantei normalmente. Então, esse foi o meu 1º entalo. Agora vou tomar mais cuidado nas refeições, para não engolir muito ar junto com a comida!

Ainda continuo invicta nos quesitos: vômito e Dumping! hehehe

>> 15/05/06:
Alguns alimentos que eu pensei que teria dificuldades de comer, após a cirurgia: farofa, milho, pipoca, arroz e frango. Eu li muitos relatos sobre esses alimentos e pensei que era regra geral, não se dar bem com eles. Mas não é! Já comi todos e nunca passei mal. Farofa, eu amo. Já experimentei vários tipos. Milho, comi alguma vezes, sem problemas. Pipoca é a minha perdição… E desce super bem. Arroz eu nunca como, prefiro risoto. Acho que arroz branco não tem gosto de nada e só engorda. Frango, que muitos reclamam, eu como de qualquer jeito: ensopado, assado, na brasa, filé grelhado, torta. Nunca tive problema. A campeã de reclamações é a CARNE VERMELHA. Eu como super bem, todos os dias. No começo, rejeitei a carne moída. Mas isso já passou faz tempo. Sou super fã de churrasco. Picanha na brasa (sem a gordura), passou a ser a minha carne preferida. Não pode estar bem passada, senão fica dura. No máximo, ao ponto. A carne quando está bem quentinha, fica macia. Carne fria é muito dura e difícil de mastigar. Às vezes, evito a carne em alguns lugares, com medo dela estar dura. Aí fica difícil mastigar mesmo.

>> 10/05/06:
Estou perto de completar 9 meses de cirurgia. Até hoje, nunca entalei ou vomitei. Presto muita atenção na minha alimentação e na mastigação. Acho que sou sortuda também! hehehe
É importante comer a cada 3h e fazer as 6 refeições diárias. Já sinto fome, coisa que só começou a acontecer após o 5º mês. É uma fome pequena, geralmente próximo do horário das refeições. Como e fico logo satisfeita. Também tenho tido alguns ataques de gula… Esses são terríveis! É preciso controlar. Na maioria das vezes, consigo “contornar”, comendo alguma coisa saudável. Tem horas que é impossível e como não sou de ferro, também caio em tentação… O importante é não criar esse hábito! A reeducação alimentar é importantíssima e não deve ser colocada de lado. Já cheguei muito longe e não quero colocar tudo a perder. Procuro deixar as escapulidas para os finais de semana. E comer chocolate, no máximo 2x por semana. Isso, agora que estou na reta final. No começo, eu fui bem mais rigorosa com a minha dieta, para não atrapalhar o meu emagrecimento.

>> 31/01/06:
Queda de cabelos + baixa nas taxas de proteínas. Resultado? A endócrino me mandou comer entre 250g e 300g de carne vermelha por dia, todos os dias. Se sobrar lugar, depois da carne, aí posso comer legumes ou outro acompanhamento. Proteína animal, ela disse! Além da carne, 200ml de leite desnatado + 200ml de yogurte light + 1 fatia grossa de queijo branco (ou ricota ou polenguinho light) todos os dias. Mussarela, de vez em quando, para variar. O polenguinho light, não posso mais ver na minha frente… Então, por hora fico com o queijo branco e a mussarela. Acho que as 250g de carne eu consigo comer, mais do que isso, sinceramente, não cabe!!! Frango ou carne de porco, no máximo 3x por semana, em apenas 1 das refeições. É, começou aquela velha briga entre os médicos vs. gastroplastizados: precisa comer muita carne vermelha diariamente!!! hehehe

>> 27/01/06:
Andei modificando um pouco o meu cardápio diário. Por causa do calor e, também, por que enjoei um pouco de alguns alimentos, como polenguinho e yogurte light. Só tomo o yogurte com suco de frutas da Molico. E acrescentei outros alimentos, como barrinha de cereal e cookies integrais, que são ricos em fibras.

Café da Manhã:
200ml de leite desnatado com 1 colher (sopa) de chocolate em pó diet
OU 1 yogurte Molico light com suco de frutas

Lanche da Manhã:
1 ou 2 bisnaguinhas com requeijão light
OU 1/2 pacote Club Social light (ou similar)
OU 1 banana prata (média)

Almoço:
120g de carne vermelha + 2 colheres (sopa) de legumes
(frango grelhado ou carne de porco magra, somente 2x por semana; ovo mexido 1x por semana)
Sobremesa: 1/2 papaya (médio)

Lanche da Tarde:
1 barrinha de cereal
OU 1 yogurte Molico light com suco de frutas
OU 60g de queijo branco

Jantar:
Igual ao almoço
OU sopa de carne com legumes (em pedaços)
Sobremesa: uva

Ceia:
3 cookies integrais + 200ml de suco ou chá light
Abaixo, uma relação dos produtos que eu consumo. Não como tudo isso por dia, é claro, vou fazendo um revezamento.

Matinais e Lanches:
• Chocolate em Pó Stevip Diet (sem açúcar)
• Yogurte Molico Light com suco de Morango e Kiwi
• Requeijão Light Danúbio
• Leite Desnatado (todas as marcas, exceto Marajoara)
• Patê de Presunto Suave Sadia
• Bisnaguinha Pullmann
• Club Social Light ou Toda Hora Light Bauducco
• Barrinhas de Cereal
• Cookies Integrais de Castanha do Pará

Bebidas:
• Água de Côco
• Chá com Pêssego ou Limão Light Lipton
• Gatorade (Maracujá, Tangerina ou Uva)
• Suco Light Del Vale, SuFresh ou Mais (Morango, Manga ou Pêssego)
• Suco Natural de Laranja Lima

Frutas:
• Banana Prata
• Figo Roxo
• Maçã
• Manga
• Papaya
• Pera
• Uva Itália ou Rubi

Vegetais:
• Alface Americana
• Brócolis
• Cenoura
• Couve Flor
• Couve Manteiga
• Espinafre
• Mandioquinha
• Tomate
• Rúcula
• Vagem

Conservas:
• Champignon
• Seleta de Legumes com Milho
• Palmito Pupunha

Frios:
• Mussarela
• Peito de Peru Defumado
• Presunto Magro
• Queijo Branco Danúbio ou Frescatino
• Queijo de Coalho na Brasa

• Carne Vermelha:
(moída, de panela, filé grelhado, hamburger assado, churrasco e sopa);
• Frango:
(filé grelhado, assado, ensopado, lingüiça assada, torta e canja);
• Carne de Porco:
(lombo, bisteca, lingüiça, filé mignon suíno – todos bem assados e sem gordura)

Minhas Perdições:
• Bacon picadinho para cozinhar
• Pipoca Light Orville´s
• Sorvete Light de Flocos

>> 04/11/05:
Continuo me alimentando corretamente, não tenho entalos, vômito ou Dumping. Acho que o segredo é:
• Comer com calma, porções pequenas e mastigar bem;
• Não pular refeições;
• Se alimentar a cada 3 horas;
• Não trocar refeição por lanche.

Coloco abaixo, uma mostra do meu cardápio diário, com cerca de 770 calorias. Todos os dias, como 2 frutas e tomo cerca de 400ml entre leite desnatado e yogurte light. Não sou nutricionista, heim pessoal? Então, não é para copiar o que eu como, mas sim, para servir de referência!

Café da Manhã:
200ml de leite desnatado
OU 1 yogurte Molico light

Lanche da Manhã:
1 bisnaguinha com requeijão light + 1/2 fatia de peito peru defumado
OU 1 torrada com o mesmo recheio
OU 1 banana prata (média)

Almoço:
120g de carne vermelha OU 120g de frango grelhado
+ 1 colher (sopa) de legumes
OU 1 ovo mexido com mussarela e peito de peru defumado
Sobremesa: 1/2 papaya (pequeno)

Lanche da Tarde:
60g de queijo branco
OU 2 polenguinhos light
OU 1 yogurte Molico light

Jantar:
Igual ao almoço
OU 1 prato pequeno de canja
OU sopa de carne com legumes (em pedaços)
Sobremesa: 1 maçãzinha ou 1 pera (média)

Ceia:
1 yogurte Molico light
OU 200ml de suco ou chá light

>> 04/10/05:
• Recebi esse texto pelo e-mail e resolvi compartilhar com vocês, pois achei muito importante. Copinho na mão e vamos tomar ÁGUA!

10 RAZÕES PARA VOCÊ BEBER MAIS ÁGUA

1 – É o único alimento com zero caloria que existe. Contém nutrientes indispensáveis para o organismo que não são encontradas em nenhum outro tipo de alimento.

2 – Beber bastante água ajuda a controlar o apetite. “no corpo mal hidratado, a temperatura interna sobe e estimula a região do cérebro responsável pela sensação de fome”.

3 – É o cosmético natural para manter unhas e cabelos fortalecidos.

4 – É o remédio que protege o sistema imunológico de intoxicações.

5 – O corpo fica inchado sem uma boa reserva de água. Isso acontece porque a concentração de sódio aumenta e é preciso compensá-la com retenção de líquidos.

6 – Pessoas bem hidratadas têm melhores resultados com a ginástica. “Á água faz as fibras musculares deslizarem com facilidade”. Na falta desse líquido, aumentam as chances de cãibras durante os exercícios.

7 – Para ganhar massa muscular, você precisa estar muito bem hidratado. É através da água que o glicogênio chega às células para “alimentar” as fibras musculares.

8 – Beber oito copos de água por dia mantém o intestino funcionando regularmente. Os alimentos fibrosos ajudam, mas fibras secas não fazem nada.

9 – Todas as proteínas e vitaminas que você está tendo o cuidado de ingerir serão mal aproveitadas se não forem acompanhadas por uma quantidade adequada de água.

10 – Pesquisadores concluíram que a água gelada é a melhor bebida para a reposição de líquidos. A maioria das bebidas comerciais são absorvidas mais lentamente do que a água, e não há evidência de que nós perdemos muitos eletrólitos (minerais e líquidos) durante os exercícios para exigir sua reposição imediata.

>> 30/09/05:
• Ontem falei com a nutri pelo telefone. Estava com receio de comer muito pouco. Ela falou que estou indo bem! Para comer o máximo de carne vermelha por dia e, se necessário, incluí-la no lanche da tarde (kibe ou hamburguer assado – sem o pão, rosbife, etc). Não sei se consigo fazer isso… vamos ver! Ela me liberou para tomar líquidos 1/2h após as refeições. Insistiu para eu comer 2 porções de frutas por dia, mas isso eu estou fazendo corretamente. A quantidade de leite e yogurte que estou tomando diariamente, também está boa (+/- 350ml). Agora preciso conseguir tomar 1,5 litro de líquidos por dia! Ontem a noite, tomei 450ml de água. Uma delícia, voltar a tomar água com gosto!!!

• Meu marido comprou para mim, uma fatia de torta Cheese Cake Light, feita com leite desnatado e adoçante. Gente, o que é isso??? Nunca imaginei que uma sobremesa light pudesse ser tão DELICIOSA!!! Será que venderam “gato por lebre”?? hehehe

>> 27/09/05:
• Já estou comendo há 14 dias. Está indo tudo muito bem. Minhas porções de comida (almoço e jantar) são bem pequenas: cerca de 120g. Essa quantidade tem sido suficiente e, prefiro não forçar, para não ficar estufada ou vomitar. Não gostei de comer carne moída, pois fico um tempão mastigando e ela não termina nunca… Éca!!! Com cenoura crua, aconteceu a mesma coisa… Comi feijão e foi bom. Alcachofra, simplesmente espetacular! No domingo, depois do jantar, comi um chocolate batom, dividido em 2 metades. Deixei derreter na boca… Que delícia! Aumentei a ingestão diária de líquidos, para 800ml por dia. Pretendo alcançar 1 litro nos próximos dias. Bebo água (normal ou gelada) sem problemas, +/- 100ml por vez.

>> 21/09/05:
• Voltei a mastigar faz 1 semana! Como carne vermelha e frango muito bem. Legumes, frutas, queijo branco / mussarela e ovo mexido também. Hoje vou experimentar feijão pela 1ª vez. Arroz e macarrão ainda não comi. Já me sinto bem mais segura, coloco na boca uns pedacinhos um pouco maiores, mastigo bem e vou engolindo aos poucos. Está dando muito certo para mim. Preciso aumentar a ingestão diária de líquidos! Por enquanto, estou tomando 1/2 L por dia, o que é muito pouco. O leite desnatado morno fica uma delícia com um achocolatado em pó diet, chamado SteVip. Não contém açúcar e cada colher de sopa, suficiente para 200ml de leite, tem apenas 30 calorias.

>> 17/09/05:
• Já estou descobrindo meu rítmo, durante as refeições. Consigo comer 4 colheres de sopa de comida, sem ficar “cheia”, mas é o meu limite por enquanto. Não quero forçar a 5ª colher! Já me alimento mais tranqüila, sem medo de entalar, mas presto muita atenção na mastigação. Noto que meu paladar está um pouco diferente; vamos ver se isso é temporarário! Ainda não consegui fazer todas as refeições recomendadas. Não tive enjôo, nem vontade de vomitar.

>> 14/09/05:
• Iniciei hoje a alimentação sólida, comendo 60g de queijo branco no lanche da tarde. Desceu muito fácil e gostoso. No jantar, comi um bifinho de filé grelhado, equivalente a 3 colheres de sopa. Demorei quase 2h para conseguir comer tudo, pois o medo de entalar era grande! Cortei em pedaços minúsculos e mastiguei MUITO. Demorei tanto para terminar, que não deu para fazer a ceia. Mas foi muito bom, voltar a mastigar!

Orientação Nutricional pós dieta líquida*

• Mastigue muito bem os alimentos, cortando-os em mini pedaços e utilize prato e talheres de sobremesa (se achar necessário), levando no mínimo 40 minutos por refeição.

• Demore pelo menos, 1 minuto entre as garfadas e deixe o garfo em repouso no prato.

• Evite falar enquanto se alimenta (para não engolir ar) e comer na frente da TV (para não se distrair e engolir sem mastigar).

• Coloque de 4 a 5 colheres de sopa de comida no prato (aproximadamente 200g).

• Ingerir 300g de carne vermelha por dia, no mínimo 4 vezes por semana.

• Não beba líquidos durante as refeições. Se for beber líquidos próximos às refeições, beba 30 minutos antes ou 1h depois.

• Realize 5 a 6 refeições por dia: café da manhã; lanche da manhã; almoço; lanche da tarde; jantar e ceia. Coma de 3 em 3 horas, sem omitir refeição nenhuma.

• Priorize os alimentos ricos em proteínas em todas as refeições: carnes, leite, queijos, ovos e yogurtes.

• No almoço e no jantar, consuma sempre primeiro a carne. As leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico e soja) devem ser um acompanhamento das carnes;

• No primeiros meses, prefira carne moída ou preparada na panela de pressão, para facilitar o processo de aprendizagem da mastigação.

• Carboidratos: arroz, macarrão, batata, beterraba, milho, farofa, polenta, fubá, farinhas em geral, cará, inhame, mandioca, mandioquinha, devem ser consumidos por último nas refeições. Não misture 2 carboidratos na mesma refeição.

• Prefira os queijos magros: ricota, cottage, queijo branco, Polenguinho light, mussarela light.

• Consuma leite ou yogurte, de preferência desnatados, pelo menos 2x por dia, num total de 400ml.

• Consuma frutas pelos menos 2x por dia.

• Pão: quando for consumir, prefira pão de forma ou pão francês torrado ou na chapa.

• Evite os alimentos que esmigalham, pois são de fácil de aceitação, mas muito calóricos: biscoitos, bolachas, sequilhos, salgadinhos, biscoito de polvilho, pipoca, amendoim, etc.

• Doces: evite-os ao máximo, porém, quando for consumí-los, faça sempre após o almoço ou jantar. Não coma doces com o estômago vazio, para não causar Dumping.

• Utilize adoçante, no lugar do açúcar.

• Evite gorduras e frituras ao máximo.

• Refrigerante e bebidas alcoólicas estão proibidos.

• Pratique caminhadas regularmente.
* Estas orientações foram elaboradas pelas nutricionistas do Instituto Garrido e devem ser seguidas corretamente.

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 1 COMENTÁRIO »

Dieta Líquida

1st janeiro, 2008 by Danny Mou

>> 14/09/05:
• Com 28 dias, estou liberada da Dieta Líquida! Ôba, hoje já vou jantar!!!

>> 08/09/05:
• Quero colocar um alerta aqui: quando forem comprar yogurte light, prestem bastante atenção no rótulo, pois parece que eles fazem tudo para confundir a gente! Ontem, cheguei a tomar – por engano – 20ml de um yogurte desnatado 0% de gordura da Batavo, porém com açúcar, com o rótulo praticamente idêntico ao outro, que não contém açúcar! Estranhei o sabor; na verdade, achei delicioso!!! hehehe Aí resolvi ver a Tabela Nutricional e estranhei as 136 Kcal por potinho… Resultado, joguei fora e comprei o yogurte light da Molico, também 0% de gordura e sem açúcar, com apenas 50 Kcal por unidade. Fiquem atentos!!!

+ Dicas para os Caldos Salgados:
• Mandioca, chuchu e couve flor não dão sabor; • Beterraba ralada com carne, fica uma delícia e dá uma cor linda; • Abóbora (moranga) deixa um sabor adocicado, Abóbora Japonesa é melhor; • Para ficar saboroso, a carne precisa ser frita e depois cozinhar em panela tampada, para soltar bastante água; • Alho deixa um sabor acentuado, prefiro usar o Tempero Pronto Alho & Sal; • Se o caldo de frango ficar gorduroso, faça o seguinte: deixe gelar e depois retire o excesso de gordura gelificada com uma colher e despreze.

>> 03/09/05:
• Li no orkut, que várias pessoas tomam o caldo no copinho descartável… Ninguém merece isso! O gostoso é tomar o caldo num prato de sopa pequeno e usar uma colher de sobremesa. Como saber quantas colheradas dão 20ml? Simples: pegue a sua colher e vá enchendo o copinho, até chegar na metade. No meu caso, 6 colheradas rasas = 20ml.

• Fiz o cálculo de calorias ingeridas num dia da minha dieta líquida e escrevo abaixo para eventuais consultas. O custo total por dia, sai no máximo R$ 10,00.
Café da Manhã:
==> Corpus Fresh com Suco (200g) ==> 35

Durante a Manhã:
==> Água de Côco (500ml) ==> 110

Almoço:
==> Caldo de carne com legumes (250ml) ==> 72
==> Gelatina dietética de morango (120g) ==> 11

Durante a Tarde:
==> Chá com adoçante em pó (400ml) ==> 2

Jantar:
==> Caldo de carne com legumes (250ml) ==> 72
==> Gelatina dietética de morango (120g) ==> 11

Durante a Noite:
==> Gatorade sabor uva (473ml) ==> 100

Total de Calorias ==> 416
*Fonte: Gastronomia Brasil – Tabela de Calorias

>> 31/08/05:
Entrei no 15º dia da dieta líquida. Hoje acrescentei na dieta, Corpus Fresh (yogurte light com suco de frutas). É gostoso, bem ralinho e só tem 35 kcal por unidade. Experimentei 2 novos sabores de Gatorade, e aprovei: frutas tropicais e uva silvestre. Polpas congeladas, tomei de abacaxi e maracujá, mas achei as duas muito ácidas.

Para quem acha que vai tomar pouco líquido durante esse 1º mês, quero deixar aqui uma conta rápida: eu tomo 20ml a cada 5 minutos, então, em 1 hora já tomei 240ml (12 x 20ml). Se eu passar 10 horas bebendo, já serão 2,4 litros. Facilmente podemos tomar os 2 litros recomendados!

>> 26/08/05:
Dicas para os Caldos Salgados:
• Os de carne vermelha são muito mais saborosos, pois o frango não solta muito gosto;

• Salsão dá um gostinho muito bom;

• Cuidado com espinafre e tomate, pois em grande quantidade, deixam um sabor muito acentuado;

• Abobrinha não dá gosto;

• Vagem precisa ser muito bem cozida, pra não deixar um gostinho de “cru”;

• Cenoura, madioquinha, couve, salsão e espinafre (pouca quantidade) são meus favoritos;

• Além da carne (ou frango), procure colocar apenas 2 vegetais, para não misturar os sabores e deixar o caldo com gosto de nada!

>> 23/08/05:
Já estou no 5° dia da dieta líquida completa (o 1° dia foi apenas água e chá) e estou gostando muito. Fruta natural, só experimentei laranja lima com água; muito bom. Polpas congeladas, tomei de pêssego e manga, as 2 com água e 1 envelopinho de adoçante. Meu paladar está alterado, estou achando tudo muito doce! Comi gelatina dietética de framboesa e uva numa boa. Tomei chá de erva doce, cidreira e morango, também com pouco adoçante. Água de côco, somente in natura, de caixinha não gostei do sabor de conservante. Gatorade, tomei e adorei os sabores: uva, tangerida, morango com maracujá e frutas cítricas; limão não gostei. Os caldinhos salgados que meu marido faz, são DELICIOSOS!!! Já estou tomando 250 ml por refeição (demora 1h30 mas vai!). Agora, leite desnatado e yogurte light ainda não tentei, pois meu intestino está solto, então não quero piorar as coisas…. Já estou conseguindo ingerir 2 litros por dia (no total).

Caldo de Carne (Beef Tea)
Colocar em uma panela de pressão, a carne magra em cubos, temperada com cebola, salsão, alho poró e uma pitada de sal. Acrescentar água fria até que a carne esteja totalmente coberta. Deixar ferver por cerca de 20 minutos, em fogo baixo. Em seguida, passar os cubos de carne pelo espremedor de batatas e consumir apenas o caldo. (Receita fornecida pelas nutricionistas do Instituto Garrido)

Dieta Líquida Hipocalórica após Cirurgia da Obesidade Mórbida*

• Água sem gás

• Chás claros, quentes ou gelados, evitando chás pretos e mate

• Sucos de Frutas: qualquer um, preferencialmente os naturais. Evitar os sucos em pó. Para os sucos industrializados, procurar os light (sem açúcar), sem conservantes e sem corantes. Todos os sucos devem ser diluídos com água

• Frutas: batidas no liquidificador com água, leite desnatado ou yogurte light e coadas duas vezes em peneira fina

• Yogurtes: não podem ser tomados puros. Devem ser diluídos com leite desnatado ou água e também coados duas vezes

• Bebidas Isotônicas (tipo Gatorade): apenas uma garrafa por dia (473 ml) de qualquer sabor

• Água de Côco: meio litro (500 ml) por dia

• Gelatina Diet: 100 ml, em até cinco vezes ao dia em diferentes horários. Comer com uma colher de chá de 5 em 5 minutos e não ingerir líquidos nos intervalos das colheradas

• Caldos Salgados: ralos e coados de carne magra, frango (sem a pele) ou peixe e legumes, temperados normalmente e sem gordura. Devem ser tomados em uma tigela (200 – 250 ml), com uma colher de sobremesa de 5 em 5 minutos, durante 40 minutos no mínimo. Não tomar líquidos nos intervalos das colheradas

• Usar somente adoçante para as frutas, sucos e yogurtes

Observações Importantes:
• Alimentos amiláceos (batata, beterraba, cará, mandioca, mandioquinha, inhame): colocar apenas um no caldo, para não engrossá-lo.

• Não bater os caldos no liquidificador, nem espremer os legumes com um garfo. O que se pode consumir é apenas a água de cozimento das carnes e legumes. Também não é permitido mascar a carne para engolir apenas seu caldo.

O que não pode ser ingerido:
- caldo de leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico e soja)
- sopas prontas e caldos industrializados
- açúcar
- bebidas alcoólicas e gasosas
- café preto (mesmo misturado com leite)
- chá preto ou mate (mesmo light)
- caldo de cana
- pudim, sorvete, picolé, flan, creme de leite, leite condensado, milk-shake e chocolate (mesmo diet)
- requeijão (mesmo light)
- balas e chicletes (mesmo diet / light)

* Esta dieta líquida foi elaborada pelas nutricionistas do Instituto Garrido e deve ser seguida por 30 dias. Cada equipe médica pode seguir orientações diferentes, como por exemplo, proibir a ingestão de leite e yogurte, mesmo desnatado ou light.

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

Related Posts with Thumbnails

» 3 COMENTÁRIOS »