Fantástico: Médicos prometem emagrecimento rápido à base de remédios proibidos

13th fevereiro, 2012 by Danny Mou

Em todo o Brasil, médicos atraem centenas de pacientes, porque prometem emagrecimento rápido, à base de remédios. Só que eles não seguem a lei e usam remédios e combinações proibidas.

Quatro meses depois da proibição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), médicos inescrupulosos continuam receitando remédios para emagrecer contra-indicados e combinações de substâncias que podem até matar. O Fantástico percorreu vários desses consultórios que prometem resultados rápidos, mas que, na verdade, são armadilhas.

Para emagrecer, você se consultaria com um médico que faz o paciente virar uma ‘caveirinha’? “se você quiser secar, ele seca mesmo você em um mês. Todo mundo fala que quem quiser ficar ‘caveirinha’ fica com ele”, diz uma jovem que espera na fila para consulta.

Os pacientes do médico Roberto Falci da Silva Garcia no Rio de Janeiro chegam de madrugada para pegar uma senha. “Eu cheguei eras uma 5h30, ia dar 5h”, conta uma mulher.

A mesma história acontece em todo o Brasil: médicos atraem centenas de pacientes, porque prometem emagrecimento rápido, à base de remédios. Só que eles não seguem a lei e usam remédios e combinações proibidas. “A gente vai fazer uma terapia de guerra”, diz o médico.

Para começar, os remédios são vendidos pelos próprios médicos, o que não é permitido. E por isso eles pedem segredo aos pacientes. “Não vai contar para ninguém, hein? Fica quieto”, diz uma médica.

Para mostrar como agem os médicos que receitam fórmulas e substâncias proibidas para emagrecer, o Fantástico marcou consultas com quatro profissionais.

Em Igaratinga, no interior de Minas Gerais, o médico Leonício de Almeida mistura vários medicamentos, que ele chama de ‘muletas’. “Nessa muleta, tem mais um pedacinho que vai diminuir a ansiedade. Vai ter mais outro pedacinho que vai tirar qualquer estado depressivo”, informa ao paciente.

O médico não explica nada nem diz o nome dos remédios.

“O médico não pode nem prescrever de maneira secreta: ‘eu vou lhe dar um medicamento’, que ele não coloca o nome exatamente do medicamento, que ele codifica e só uma determinada farmácia sabe qual é aquele código. Isso é totalmente vedado ao médico”, afirma Ricardo Meirelles, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

E pior: ele dá à nossa equipe remédios que foram receitados para outros pacientes. “Eu vou riscar o nome dela e colocar o seu nome”, diz o Dr. Leonício. Depois, ele vende os medicamentos que acabou de receitar. “Esse daqui é R$ 99. E esse aqui é R$ 65. No total, fica R$ 164”, informa o médico.

“Esse tipo de procedimento é vedado pelo Código de Ética Médica”, critica Carlos Vital Tavares Correa Lima, do Conselho Federal de Medicina.

Enviamos todo o material para análise no Laboratório de Farmacologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “O medicamento apresenta o femproporex, e femproporex é uma anfetamina. No Brasil, essas anfetaminas foram proibidas pela Anvisa no ano passado”, explica o professor de farmacologia Gilberto Denucci, da Unicamp.

O advogado Pérsio Moreno Vilalva tomou femproporex: “Você tem insônia por conta desse medicamento, comecei, de certa forma, a não ter mais vontade de fazer nada. Você não quer nem sair de casa. Aí eu comecei a perceber que isso estava me fazendo mal”.

As anfetaminas atuam no cérebro e reduzem o apetite. Elas fazem o coração bater mais depressa, podem causar acidente vascular cerebral e ainda levar à dependência física e psíquica. Por isso, a Anvisa proibiu os derivados dessas substâncias e só liberou uma: a sibutramina.

No Rio de Janeiro, a médica Kátia Requena receita a sibutramina. Essa substância age assim: o cérebro de quem toma sibutramina entende que não é preciso comer muito. Com menos comida, a pessoa fica logo satisfeita. Por isso, consegue emagrecer.

“Os efeitos colaterais são geralmente boca seca, mal estar, tonteira, em alguns casos. Pode acontecer de haver aumento da pressão arterial”, aponta Ricardo Meirelles, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Mas combinar sibutramina com quaisquer outros medicamentos para quem quer perder peso está proibido desde 1997 pelo Conselho Federal de Medicina. “Ela é proibida na mesma fórmula e em fórmulas separadas para serem tomadas junto”, aponta Maria Eugenia Cury, do Núcleo de Investigação da Anvisa.

“Já ficou muito claro que, quando associadas em fórmulas a laxantes, a hormônios, a diuréticos, são indutoras de sérios riscos de agravos à saúde e até mesmo à morte”, declara Carlos Vital Tavares Correa Lima, do Conselho Federal de Medicina.

Mas a doutora Kátia passa por cima da lei. “Vou fazer sibutramina para ele, junto com isso aqui. Mas, para mexer na ansiedade dele, a gente tem que botar outras coisas também”, diz.

Para saber que outras coisas são essas, enviamos os remédios receitados pela doutora ao Laboratório da Unicamp. Uma delas é uma substância chamada fluoxetina. “A fluoxetina tem o mesmo mecanismo de ação da sibutramina, ou seja, é um inibidor de apetite. Essa associação eu nunca tinha visto”, revela o professor de farmacologia Gilberto Denucci, da Unicamp.

A fórmula também tem um laxante chamado orlistate. O orlistate atua no tubo digestivo e diminui a absorção de gorduras. Usado com outras substâncias, pode causar problemas no estômago e no intestino. Deve ser por isso que, no final da consulta, a doutora pede o seguinte: “não vai contar para ninguém, hein? Fica quieto”.

Nossa equipe segue para Presidente Prudente, em São Paulo. A doutora Ana Rúbia Gonçalves passa uma receita.

Ana Rúbia Gonçalves: Esse remédio vai tirar sua ansiedade de comer o dia inteiro.
Fantástico: Esse é qual, doutora?
Ana Rúbia Gonçalves: Sibutramina. Você quer que eu coloque aqui um remedinho para você ficar mais animado?

Mas a sibutramina não pode ser misturada com outros remédios.

Outra doutora receitou também o orlistate. E ela passou ainda o diurético furosemide, que age nos rins e faz a pessoa perder líquido urinando. Pode causar cãibra, dores musculares e taquicardia.

“O diurético não tem efeito de emagrecimento. Ele simplesmente provoca no início uma perda de água. Com isso, o paciente tem a percepção que perdeu peso, mas, após alguns dias, ele volta a recuperar esse peso”, informa o professor de farmacologia da Unicamp.

De volta ao Rio, o doutor Roberto Falci da Silva Garcia, o das ‘caveirinhas’, receita o mesmo diurético, mas não informa o paciente.

“A surpresa é que foi encontrado um diurético, apesar de não estar constando na descrição da fórmula”, declara Gilberto Denucci.

Outra irregularidade: é o médico, e não o paciente, que encomenda a fórmula diretamente na farmácia. “A farmácia vai entrar em contato com vocês na segunda-feira. Eles entram em contato por telefone no horário comercial. Passam o valor e pegam o endereço de entrega”, diz uma funcionária ao paciente.

Isso fere o Código de Ética Médica: “Fazer uma interação direta com a farmácia, não dando ao paciente a sua devida receita, isso, no mínimo, gera suspeição de vantagens obtidas do médico com a farmácia, em decorrência de sua atividade profissional, o que também é vedado no Código de Ética Médica”, declara Carlos Vital Tavares Correa Lima, do Conselho Federal de Medicina.

O médico não entregou ao paciente a receita azul, que é obrigatória para medicamentos controlados. “Se não tem receita, não entra no sistema. E o que não entra no sistema é porque ele está fora. Então, ele não está dentro dos padrões sanitários definidos”, aponta Maria Eugenia Cury, do Núcleo de Investigação da Anvisa.

Seguimos para a fronteira com o Paraguai, onde os remédios proibidos são vendidos na feira livre.

Fantástico: Estou procurando remédio para emagrecer.
Homem: Sibutramina? Sibutramina de 15 miligramas.

Do outro lado da fronteira, farmácias vendem sem receita um tipo de anfetamina: o femproporex. Ele está proibido pela Anvisa, desde o fim do ano passado.

Fantástico: Vende femproporex? Caixa? Quantas vêm?
Funcionária da farmácia: 30 cápsulas.

A paranaense Luciani Zanutto de Oliveira tinha 24 anos, quando recebeu de um médico uma receita para emagrecer, contendo várias substâncias. “Tinha vários tipos de anfetamina, um monte de coisa”, lembra Vanderlei Inocêncio da Silva, marido da vítima.

Em 2001, 20 dias depois de iniciar o tratamento, Luciani morreu. Para o Ministério Público do Paraná, ela morreu por causa da anfetamina receitada pelo médico José Carlos da Costa. Ele está sendo julgado por homicídio por dolo eventual, quando a pessoa assume o risco de matar.

O caso ainda vai ser julgado. Dois anos atrás, o mesmo médico foi condenado a 14 anos de prisão por ter matado um policial federal em uma discussão de trânsito. Ele está recorrendo da sentença e continua clinicando.

Procuramos o doutor José Carlos, mas ele não quis gravar entrevista. “Fica para outra oportunidade”, diz por telefone.

Já a doutora Ana Rúbia, de Presidente Prudente, primeiro disse que receberia a nossa equipe.

Fantástico: Qual o horário que a doutora poderia atender uma equipe nossa?
Funcionária da clínica: Agora à tarde.

Fomos à clínica, que estava fechada, e seguimos para o condomínio onde ela mora. “Ela pediu para avisar que tinha saído e que não está lá”, informa o porteiro.

Por telefone, o doutor Leonício, aquele que vendeu remédios, diz que parou de receitar substâncias proibidas quando a determinação da Anvisa entrou em vigor: “Até dezembro, prescrevia normalmente. Depois de dezembro, nós não temos como prescrever”.

Só que a nossa equipe comprou os medicamentos em janeiro deste ano.

Também tentamos falar com o doutor Roberto Falci, aquele que enviou fax direto para a farmácia, sem dar receita, mas a clínica fechou as portas para nossa equipe.

A doutora Kátia, aquela que pediu segredo, também não quis falar.

Segundo a Anvisa, médicos e farmácias que burlam a lei podem receber multa, ter o consultório ou o estabelecimento interditado e ainda ser acusados de comércio irregular de produto controlado ou tráfico de entorpecentes.

Todos os remédios adquiridos pelo Fantástico vão ser entregues a Anvisa.

Se você quer emagrecer, não pense que existe uma fórmula mágica para perder peso. “A única maneira de se perder peso é modificando hábitos de vida, adotando uma atividade física regular e adotando uma alimentação saudável. Existem medicamentos que podem ajudar o paciente a atingir esse objetivo. Esses medicamentos devem ser utilizados quando tiverem sua indicação”, informa Ricardo Meirelles, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Quando você for se consultar, o médico precisa conhecer o seu estado de saúde. “Normalmente o que se faz é isso: a tomada da pressão arterial, avaliação da freqüência cardíaca, o exame do coração, a escuta cardíaca. Normalmente se faz a escuta cardíaca, ausculta respiratória, apalpação de abdome. Isso é o que faz parte, são as etapas principais do exame físico, de um bom profissional”, aponta Ricardo Meirelles. Fonte: Fantástico

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

‘Macarrão de banana’, para comer sem culpa!

28th outubro, 2011 by Danny Mou

>> Diário Pessoal, 28/10/11

A casca da fruta vai junto para virar aquela macarronada. Foram quatro meses de estudos e testes até chegar à fórmula ideal.

Por que não incrementar a qualidade de alimentos que sabidamente engordam e são pobrinhos em nutrientes? Já pensou poder comê-los sem culpa?

Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), um grupo de nutricionistas se preocupou em preparar um macarrão saudável feito da banana verde. A novidade é que elas não aproveitam apenas a polpa da fruta. A casca vai junto para virar aquela macarronada. Foram quatro meses de estudos e testes até chegar à fórmula ideal.

“A banana verde tem um amido que a gente chama de amido resistente, que não é absorvido no organismo. Ele não se transforma em açúcar. Ele vai para o intestino grosso e vai ser fermentado, até auxiliando a nossa flora intestinal normal. Funciona como fibra solúvel”, explica a nutricionista Suzana Freitas, da UERJ.

Vamos então à transformação da banana verde em macarrão. As nutricionistas cortam a fruta, separando a casca e a polpa.

“As rodelas são finas para facilitar o processo de desidratação das bananas. A casca a gente corta em quadrados pequenos para facilitar também a desidratação e ficar uma farinha seca”, mostra a nutricionista Vanessa Castelo Branco, da UERJ.

Depois de cortadas, estufa: 20 horas à temperatura de 60ºC. Já secas, é hora de moer. No preparo da massa, as nutricionistas usam 50% da farinha da banana verde e a outra metade de farinha de trigo para dar liga. E mais: ovos, azeite de oliva e sal.

Depois, elas deixam a massa descansar um pouco, cortam no formato que preferir e levam novamente para a estufa. Duas horas entre 70ºC e 120ºC. Agora, é só cozinhar.

Tanto a farinha quanto o macarrão foram analisados em laboratório para atestar a qualidade do alimento.

“É um macarrão que tem menos açúcares do que o tradicional, e tem mais nutrientes, como vitaminas, minerais como o potássio, e também triptofano, que é um aminoácido que estimula até a produção de serotonina, que é o hormônio do bem, do bem estar”, conta Suzana.

É um macarrão com baixa concentração de açúcar, mais nutritivo.

“Nós fizemos seis testes com mais ou menos 40, 60 pessoas, e dentro de uma escala de um a nove, a maioria atribuiu nota acima de sete para o nosso macarrão”, acrescenta a nutricionista Lília Zago, da UERJ. Fonte: Globo Repórter

O Globo Repórter experimentou o macarrão. Demos nota 10.

Salve a banana!

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 3 COMENTÁRIOS »

Chá verde e óleo de coco ajudam a emagrecer!

28th outubro, 2011 by Danny Mou

>> Diário Pessoal, 28/10/11

Exercício físico é um aliado poderoso em uma dieta. Queimamos mais calorias e por isso emagrecemos com mais facilidade. Alguns alimentos também têm essa função: de fazer o metabolismo trabalhar mais e eliminar gorduras, como se colocássemos o nosso organismo para malhar, apenas escolhendo a comida certa.

Foi o que fez um grupo de mulheres de Piracicaba, no interior de São Paulo, que seguiu à risca uma dieta. Elas foram voluntárias em uma pesquisa que testou uma nova fórmula de perder peso.

Fabiana perdeu cinco quilos.

Marília e Amanda perderam oito.

Simone, a nossa professora das dietas mirabolantes, ainda está gordinha. Mas, acredite: durante a pesquisa ela perdeu 11 quilos, dessa vez sem maluquices. O segredo da dieta? Chá verde.

“Por ansiedade, a gente engordava. Às vezes, não era fome. Era desejo, vontade de comer. E tomando o chá, tirava esse desejo, essa ansiedade, principalmente de doce”, lembra Simone.

Durante dois meses, elas beberam diariamente duas colheres de sopa de uma concentração de chá verde em pó, diluída em água gelada.

“Além de emagrecer, a gente não voltou a engordar. Melhora a autoestima e a disposição”, comemora a professora Maristhela Juvenal.

“Eu tomei o chá, fiz a reeducação alimentar e emagreci. Eu deixei de tomar o chá, eu adquiri alguns quilos”, acrescenta a dona de casa Débora Bovi.

A pesquisa foi desenvolvida na Esalq, escola de agricultura da USP, com 40 mulheres. Para não gerar dúvidas, todas passaram por uma dieta de adaptação um mês antes de começar o estudo. Mas, sem saber, uma parte tomou um pozinho sem o extrato de chá verde.

“O grupo que consumiu o chá verde foi o único grupo que perdeu peso, cerca de 5,7 quilos em média. As que não consumiram o chá não tiveram modificação nenhuma”, diz a educadora física Gabrielle Cardoso.

O chá verde, tão simples, guarda uma substância poderosa contra as gorduras: a catequina. “Ele auxilia na queima calórica. Ele aumenta a queima calórica em até 5%”, conta Gabrielle. “O chá verde quebra a gordura armazenada no organismo e faz com que a gordura que você consome em alimentos não seja totalmente absorvida pelo seu organismo.”

E mais: a gordura que não ficou acumulada no corpo pode se transformar em energia para quem pratica exercícios físicos.

“As voluntárias que fizeram exercícios e tomaram chá verde perderam cerca de nove centímetros na circunferência da cintura, enquanto as que tomaram apenas chá verde tiveram reduzido por volta de cinco centímetros a sua circunferência da cintura”, afirma Gabrielle.

Maristhela também passou anos brigando com a balança. Desde que começou a tomar o chá verde, já perdeu 10 quilos.

“Antes eu tinha que colocar a bermuda, deitar na cama, murchar a barriga e puxar o zíper. Agora eu vejo que ela sai praticamente fechada. As roupas antigas eu pretendo guardar, porque pretendo ter como lembrança de que um dia eu já fui assim e pretendo não ficar mais”, avisa Maristhela.

Mas, atenção: a universidade usou um pó com alta concentração de catequina. Para conseguir o mesmo efeito com as folhas, seria preciso beber muito chá. Os especialistas recomendam que o consumo diário não passe de dez gramas da folha em um litro de água fervente. A pessoa vai emagrecer, sim – um pouco mais lentamente do que as voluntárias da pesquisa.

A bioquímica Gláucia Pastore, da Universidade de Campinas, pesquisa os efeitos dos alimentos no nosso corpo há mais de 25 anos, e tem uma explicação para a eficiência do chá verde: é um termogênico, ou seja, um alimento que produz calor, acelera o nosso metabolismo e, consequentemente, aumenta o gasto calórico. Por isso, é preciso cuidado para não exagerar no consumo.

“Se a gente acelerar demais, você também vai ter outros problemas relacionados. Por exemplo, taquicardia e respiração modificada. Em geral, esses alimentos podem desencadear alguma reação como uma ativação de um estado de alerta um pouco mais acelerado, e aí pode prejudicar o sono”, alerta a bioquímica.

Outros exemplos de termogênicos: a canela, o café, o azeite de oliva e as pimentas – campeãs nesse quesito. Mas a pesquisadora aconselha: a melhor dieta é mesmo a clássica: com muitos legumes, frutas e verduras.

“A gente pode aproveitar a nossa própria vida moderna. Pode levar para o trabalho umas duas ou três frutas e comer ao longo do dia entre as principais refeições. Isso faz com que você se sinta mais disposta e vai comer menos nas refeições principais”, recomenda.

Nesse lanche, você deve usar frutas que saciam mais, como a ameixa, o pêssego, a manga e a pera.

A fisioterapeuta Shirlei Ávila dá aulas durante todo o dia em uma academia do Rio de Janeiro. Muitas vezes, faz as refeições lá mesmo. No prato, a proteína do ovo, verduras, pepino, manga e, como tempero, outro termogênico que é novidade nas dietas para emagrecer: o óleo de coco extra-virgem, uma gordura que vem apresentando bons resultados.

“Eu como duas colheres de sopa todos os dias. Uma colher de sopa eu uso na salada e uma colher de sopa eu uso sobre as frutas. Ele me deixa muito bem. Eu me sinto mais saciada. Não preciso comer muito carboidrato”, conta Shirlei.

Diminui a fome e aumenta o gasto calórico.

“Ele é rapidamente absorvido no intestino, vai rápido para a circulação, chega rápido ao fígado, produzindo energia rápida. Quanto mais energia a gente produz de forma rápida, mais o nosso cérebro entende que chegou a hora de parar de comer”, explica a nutricionista Christine Vogel, da UFRJ.

Os benefícios do óleo de coco foram comprovados na prática em uma pesquisa feita na Universidade Federal do Rio. O cardápio incluía uma colher de sopa do óleo por dia e foi oferecido a um grupo que normalmente não é muito adepto a dietas. Todos os 30 pacientes do estudo eram homens.

O engenheiro civil Renato Lepsch diz que começou a dieta com 104 quilos e terminou com 98. O operador de equipamentos Marcos de Oliveira acrescenta: “Eu não sentia fome. Eu comia aquela quentinha pequenininha e, pronto, era suficiente.”

Marcos perdeu oito quilos em um mês e meio, e olha que ele era um comilão e tanto. “O meu grande fraco é massa. Macarrão e pão. Não terminava aquela refeição e remontava e continuava comendo.”

Para poder participar da pesquisa, os voluntários passaram por uma reeducação alimentar. Mas, hoje, depois de parar de consumir o óleo, a balança já não dá tantas alegrias. Todos voltaram a engordar.

Marcos se pesa e descobre que está dois quilos mais pesado do que quando começou a pesquisa. Com o choque, ele prometeu emagrecer novamente. Será? O Globo Repórter resolveu ir até o trabalho dele checar.

E ele não mentiu. Levou frango e abobrinha feita na água e sal.

Para Almir e Antônio, o óleo de coco é mais do que uma esperança para emagrecer. Eles são pacientes do Instituto Nacional de Cardiologia no Rio de Janeiro. Há dois meses, o hospital aceitou experimentar o óleo em doentes que sofreram infarto ou tiveram o coração operado.

“A gente espera que esse óleo de coco venha a auxiliar na perda de peso, na redução da gordura abdominal, que está associada a várias doenças, principalmente às doenças do coração”, conta a nutricionista Glorimar Rosa, da UFRJ.

O estudo ainda está no início, mas os pacientes apostam nos efeitos do óleo. Fonte: Globo Repórter

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 9 COMENTÁRIOS »

Pesquisadores descobrem o ‘leite da beleza’

28th outubro, 2011 by Danny Mou

>> Diário Pessoal, 28/10/11

Pesquisadores descobrem o ‘leite da beleza’: nutritivo e ajuda a emagrecer. Acrescentando alguns ingredientes, os pesquisadores descobriram um leite que deixa a pele mais bonita e mantém o corpo em forma.

São 8h, hora da ordenha na Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Um leite saboroso, nutritivo e que ajuda a emagrecer. Acrescentando alguns ingredientes e retirando outros, os pesquisadores descobriram um leite que deixa a pele mais bonita e mantém o corpo em forma: é o leite da beleza.

A centrífuga retira a gordura e o resultado é leite com colesterol zero. Da usina, o leite vai para o laboratório, onde os pesquisadores descobriram combinações que deixam esse alimento ainda mais saudável. São fibras que ajudam o intestino a funcionar bem. E óleo de linhaça, rico em Ômega 3. Esse óleo cor de ouro tem propriedades valiosas. Reduz o risco de doenças cardiovasculares, combate a oxidação, que provoca o envelhecimento das células, e é um anti-inflamatório natural.

Mesmo com a adição do óleo, o produto tem a metade das calorias do leite integral. A retirada da gordura concentra outros nutrientes, entre eles, o cálcio, que é ótimo para quem precisa entrar em forma. “O cálcio ajuda a emagrecer, porque absorve gorduras e as elimina também. O emagrecimento é ao longo do tempo, não de um dia para o outro”, explica a engenheira de Alimentos Neila Richards, da UFSM.

Basta acrescentar o leite colesterol zero a uma dieta equilibrada. E, com a mistura de nutrientes, beleza e proteção estão garantidas. “Ele estimula o sistema imunológico, E, para quem tem problema de pele, é aconselhável a ingestão de Ômega 3”, acrescenta Neila.

Puro ou na forma de queijos, doce de leite ou achocolatado. Tudo que é feito com a bebida integral pode ser preparado com o leite colesterol zero. São as delícias amigas da saúde. “Adulto precisa ingerir em média 1.000 miligramas de cálcio por dia”, diz a engenheira de Alimentos.

Mas é importante que outros paladares, muito exigentes, também gostem da novidade. Com o sabor do morango, o óleo de linhaça ficou imperceptível para as crianças. Os pequenos degustadores gostaram. Fonte: Globo Repórter

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Conheça a Dieta Antifome!

6th agosto, 2011 by Danny Mou

Aprenda como se alimentar nos dias frios e saciar a fome. Com cardápio adequado é possível ficar satisfeito e comer bem, de forma saudável e sem culpa.

Escolher os alimentos certos e consumir as quantidades ideais de nutrientes e minerais é fundamental para matar a fome. Além disso, a sensação de estar satisfeito não está relacionada necessariamente com a quantidade, mas com a forma como a gente come. Quanto mais devagar, mais vezes mastigamos e isso indica para o cérebro que estamos nos alimentando bem. Resultado: a fome vai embora. Do contrário, quando comemos muito depressa, a sensação de saciedade não é completa.

Seguindo orientação de uma nutricionista, a dieta que é um bom exemplo, começa com um copo de suco natural ou uma fruta e depois duas fatias de pão integral com requeijão light. Requeijão é fonte de proteína, assim como o leite e o iogurte, que deve ser tomado em seguida. “Toda proteína tem uma digestão um pouco mais lenta, o que faz com que você se sinta saciado por um período maior”, explica a nutricionista Alessandra Pereira.

Deve-se evitar os biscoitos, queijos amarelos e o pão francês. “Ele tem uma farinha branca que causa menos saciedade do que o pão integral”, alerta a nutricionista.

Na correria do dia a dia, para quem não tem tempo de parar para comer, a dica é consumir um mix de frutas secas: dois damascos e duas ameixas, que além de serem fontes de vitaminas e minerais, possuem fibras. E também uma castanha do Pará. Alessandra explica: “A castanha contém um óleo bom e a ameixa e o damasco, além de serem fontes de vitaminas e minerais, possuem fibras. É muito prático para deixar no escritório e sempre lançar mão quando a fome bater”.

Para almoçar num restaurante, a atenção tem que ser redobrada. O ideal é colocar verduras e legumes na metade do prato, trabalhando sempre as cores por causa das vitaminas e minerais. Na outra metade, colocar arroz, feijão e uma carne, fonte de proteína.

A tradicional combinação brasileira de arroz e feijão é perfeita: tem todas as substâncias que matam a fome. E na sobremesa, mais fibras para preencher a vontade de comer durante a tarde: uma fruta do tamanho da palma da mão, como pêra, maçã ou banana. Se for uma fruta maior, coma uma fatia e se for picada, uma xícara.

No jantar a opção é sopa de macarrão, carne e legumes. A dieta antifome termina doce e surpreendente com uma barra ou vinte gotinhas de chocolate. “Ele tem uma função de saciedade no nosso organismo porque libera uma substância no cérebro, principalmente o chocolate amargo”, explica a nutricionista. Fonte: Jornal Hoje

Veja agora, a dieta antifome completa!

Dieta antifome (1400 a 1600 calorias)

Café da manhã
- 200 ml de leite desnatado com café e adoçante ou 1 pote de iogurte desnatado
- 2 fatias de pão integral ligth com 1 colher de sobremesa de requeijão ligth
- 1 fruta

Lanche da manhã
- 1 castanha-do-pará
- 2 damascos secos
- 2 ameixas pretas secas

Almoço
- 1 colher grande de arroz integral
- 1 concha pequena de feijão
- 1 filé (120 g) de carne vermelha ou branca magra, cozida, assada ou grelhada
- 4 colheres de sopa de um vegetal vermelho ou amarelo escuro, como beterraba, tomate ou cenoura
- Salada de folhas verde escura (à vontade)
- Sobremesa: 1 fruta

Lanche da tarde
- 200 ml de iogurte desnatado com 2 colheres de sopa de aveia em flocos ou a repetição do lanche manhã

Jantar
- 2 conchas médias de sopa de legumes com macarrão
- Sobremesa: 2 colheres de sopa de doce de frutas ou 1 barra de 30 gramas de chocolate
- Outra opção é repetir o almoço

Ceia
- 1 fruta com 1 colher de sopa de aveia em flocos

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 1 COMENTÁRIO »