Arquivos do Blog

Saiba mais sobre as alergias!

29th janeiro, 2015 by Danny Mou

Você sabia que doenças alérgicas atingem de 30 a 40% da população mundial?

Para sanar algumas dúvidas sobre o tema, convidamos o alergologista na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Dr. Alexandre Okamori, para responder algumas perguntas:

- De que forma as alergias se manifestam?

As alergias podem se manifestar das mais diversas formas, desde sintomas respiratórios como espirros, coriza, tosse e chiado no peito a manifestações cutâneas, como coceira e lesões de pele, além de sintomas gastrointestinais, como cólica ou diarreia.

- Quais os ambientes e temperaturas mais propícios para alergias respiratórias?

De maneira geral, as alergias respiratórias ocorrem devido ao pó e aos ácaros que vivem em nossas casas, especialmente nos quartos. Eles gostam de sombra e umidade. É claro que fatores como poluição e baixa umidade relativa do ar, devido aos longos períodos sem chuvas, também são prejudiciais aos alérgicos.

- Quais as alergias respiratórias mais comuns?

As alergias respiratórias mais comuns são: rinite e asma. No caso da rinite (ou rinoconjuntivite) os sintomas principais são: coriza, espirros, obstrução nasal, prurido nasal e/ou nos olhos, lacrimejamento e vermelhidão. Pode ocorrer também tosse e até perda de olfato. Já a asma pode se manifestar com falta de ar, tosse aos esforços, chiado no peito e cansaço. Tanto a rinite quanto a asma podem ocorrer por alergia ao pó, mofo, pelo de animais, produtos com cheiro forte e mudanças climáticas.

- Quais os ambientes mais propícios para alergias de pele?

As alergias de pele podem ter causas variadas e vários desencadeantes de coceira e irritação da pele. O calor excessivo, o uso de roupas de tecido sintético, o banho muito quente e o contato com produtos químicos são fatores que podem causar piora na alergia da pele.

- Por que algumas pessoas têm reações alérgicas mais graves, que podem levar ao choque anafilático?

Existem pessoas que, devido a uma maior intensidade da alergia, podem apresentar um quadro grave, com manifestações sistêmicas, chamado anafilaxia. Nesse caso, a pessoa pode ter, além dos sintomas já descritos, hipotensão, falta de ar, inchaço no rosto e vias respiratórias (edema de glote) e pode vir a falecer.

- O que acontece com o organismo durante o choque anafilático e quais as medidas de socorro que devem ser tomadas?

A anafilaxia, ou choque anafilático, é uma reação sistêmica do corpo contra algum agente estranho (alérgeno), com liberação de histamina e uma série de outras substâncias, que levam a diversas manifestações: taquicardia, sudorese, mal estar, hipotensão, confusão, inchaço no rosto e vias aéreas, dificuldade para engolir e desmaio. Esse quadro pode evoluir rapidamente e o melhor é levar a pessoa ao atendimento médico mais próximo.

- Existem sinais que anunciem o choque anafilático?

Os sinais e sintomas da anafilaxia podem ser variados, mas deve-se pensar nesse quadro se algum dos sintomas acima ocorrer numa pessoa que comeu algo diferente, tomou picada de abelha ou vespa ou tomou algum medicamento.

- Quais são os componentes mais comuns nas fórmulas dos medicamentos antialérgicos?

Os medicamentos antialérgicos contêm anti-histamínicos: eles bloqueiam a ação da histamina que é liberada na alergia. Os medicamentos mais antigos causam mais sonolência, os mais novos, no geral, não. Pode haver associação de um anti-histamínico com um corticoide, que tem uma ação anti-inflamatória (e antialérgica) ou com um descongestionante, em casos de obstrução de vias aéreas.

- Alguns pacientes também reclamam de que os antialérgicos levam ao inchaço do organismo ou ganho de peso. Essa relação existe?

Os antialérgicos associados a corticosteroides podem levar a aumento do peso porque eles aumentam o apetite e provocam retenção de líquido, então o ideal é evitar o uso prolongado ou frequente desses medicamentos. Fonte: Dr. Alexandre Okamori, dermatologista na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Lembre de cuidar da pele no verão!

12th janeiro, 2015 by Danny Mou

No verão é importante que os cuidados com a pele redobrem, já que as radiações solares, conhecidas também como raios UVA, UVB e Infravermelho, podem causar mutações nas células.

Nossa pele, durante a exposição solar, funciona como um escudo, protegendo nosso corpo das radiações. Dependendo do período da exposição podem ocorrer danos, como uma simples vermelhidão, edema, e até bolhas, que são respostas de um processo inflamatório local.

Por isso, antes de se expor no sol, capriche no protetor solar. Ele age diretamente como um filtro para as radiações solares. A quantidade correta a ser aplicada não é mensurável do ponto de vista prático, mas a dermatologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Ana Célia Xavier, recomenda utilizar uma quantidade que não deixe nenhuma área descoberta e reaplicar sempre após banho, exercícios e transpiração.

Além disso, é importante evitar o uso de produtos que, em contato com o sol, potencializam o efeito da exposição solar, como é o caso dos perfumes, cremes de barbear e loções.

De acordo com a dermatologista, o período de exposição solar deve ser antes das 10h e a partir das 16h. Fonte: Ana Célia Xavier, dermatologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Cuidados com os olhos no verão!

6th janeiro, 2015 by Danny Mou

A estação mais esperada do ano por quem gosta de calor, praia e piscina também tem seus problemas. É nesta época que costumam acontecer epidemias de conjuntivite, já que as altas temperaturas favorecem a multiplicação dos micro-organismos responsáveis pela doença. O período também fica marcado pelos olhos vermelhos e irritados de quem entra no mar ou na piscina. Para completar, muita gente ainda sofre com a claridade e muitas vezes fica em dúvida sobre como proceder. Felizmente, esses e outros desconfortos podem ser evitados com cuidados simples. Confira quais são eles e aproveite o verão sem deixar a saúde de lado.

Banho de mar
“A irritação mais frequente após o banho de mar é a conjuntivite”, afirma a oftalmologista Keila Monteiro de Carvalho, coordenadora da Pós Graduação em Oftalmologia FCM/UNICAMP. Por isso, ela recomenda usar um colírio lubrificante ao sair do mar e não coçar os olhos, evitando, assim, o risco de lesões por agentes que estejam na superfície ocular. Lembre-se ainda de retirar as lentes de contato antes de mergulhar. Elas podem ser contaminadas com a sujeira da água, favorecendo infecções.

Piscina
Embora pareçam limpas, piscinas costumam ser usadas por diversas pessoas e ainda são alvo de inúmeros produtos químicos. Por isso, a oftalmologista Denise Fornazari Oliveira, da Unicamp, recomenda o uso de colírios lubrificantes ao sair da água. “Algumas pessoas são tolerantes a esses agentes e não apresentam qualquer desconforto mesmo mergulhando de olhos abertos, mas isso não é regra”, explica. Ela alerta ainda para que as lentes de contato sejam retiradas antes de entrar na piscina para evitar sua contaminação.

Sol forte
Na falta de óculos de sol, invista em bonés ou permaneça na sombra para evitar o desconforto ocular. “Contrair os olhos também é um método de proteção natural do corpo, já que a ação é reflexa e involuntária”, aponta a oftalmologista Keila. Isso reduz a entrada de luz nos olhos, promovendo mais conforto para quem está exposto ao sol.

Óculos escuros
“Óculos escuros sem filtro de raios ultravioletas podem prejudicar os olhos, por isso, não invista em produtos de procedência duvidosa”, afirma a oftalmologista Denise. Segundo ela, o conforto proporcionado pela redução da luminosidade faz com que nossos olhos fiquem mais vulneráveis, caso não haja proteção adequada. Por isso, na dúvida prefira bonés, uma sombra ou mesmo a exposição direta.

Filtro solar
O contato dos olhos com o filtro solar costuma causar ardência e irritação, por isso, fique atento na hora de espalhar o produto no rosto. “Prefira versões mais concentradas ou que sejam específicas para essa região mais sensível”, recomenda a oftalmologista Denise. A especialista afirma, entretanto, que não há grande perigo decorrente da interação e que lavar o rosto com água corrente ou usar colírios lubrificantes já é o suficiente para aliviar o desconforto.

Cisco
“Por mais tentada que a pessoa fique, ela deve evitar coçar os olhos quando sentir um cisco, pois há risco de lesões na superfície ocular”, diz a oftalmologista Keila. O que fazer? Usar um colírio lubrificante e, caso o problema não seja resolvido, dirigir-se a um pronto-socorro para que o médico remova o cisco com material esterilizado que não expõe o paciente ao risco de infecções. “Após a retirada do cisco, é comum a realização de um curativo ocular oclusivo que favorece a cicatrização da lesão por 24 horas”, explica.

Suor
Até mesmo nosso próprio suor pode gerar irritações oculares. “As sobrancelhas impedem que a água escorra, mas com o aumento da transpiração, decorrente da prática de exercícios, por exemplo, isso se torna inevitável”, aponta a oftalmologista Denise. Para evitar o problema, vale apostar em faixas, como a que os jogadores de tênis usam, ou contar com uma toalhinha para evitar que o suor escorra. Fonte: Portal Minha Vida

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» 1 COMENTÁRIO »

Conheça 7 alimentos para desinchar

2nd janeiro, 2015 by Danny Mou

Retenção de líquido, causada pelo consumo de alimentos comuns nas festas de fim de ano, pode elevar o peso em até 2 quilos

Não se surpreenda se você acordou depois da ceia com 2 quilos a mais na balança. Trata-se de retenção de líquido, decorrente dos excessos alimentares e da ingestão elevada de sódio. Apenas 1 grama de sal pode reter até 200 ml de água no organismo.
De acordo com o nutrólogo Daniel Magnoni, do Hospital do Coração – HCor, em São Paulo, quando se consome muito sal, o volume dos vasos sanguíneos tende a aumentar para que o sódio seja diluído e, assim, excretado com mais facilidade. “Esse é o mecanismo que causa a sensação de inchaço. Mas é momentâneo”, explica. O sódio demora, em média, três dias para ser eliminado pelo organismo.
A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é ingerir até 2 gramas de sódio por dia, equivalentes a 5 gramas de sal. É fácil ultrapassar esse limite consumindo enlatados e embutidos, sempre presentes nas festas de fim de ano. Em duas fatias de presunto cozido, por exemplo, há 467 mg de sódio. A mesma quantidade de tender tem 445 mg. “Embutidos e produtos industrializados correspondem a cerca de 70% do nosso consumo diário de sal”, diz Tarissa Petry, endocrinologista do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Mamão
O mamão contém a enzima papaína, que ajuda na digestão ao auxiliar a quebra das moléculas de proteína. Ao facilitar a digestão, o sódio é excretado pelo organismo com mais facilidade.

Abacaxi
O abacaxi tem a enzima bromelina, semelhante à papaína presente no mamão. Com a mesma ação de auxiliar a quebra de proteínas, a enzima ajuda na excreção do sódio. “O importante é comer a fruta em si. O suco de abacaxi é muito calórico”, diz o endocrinologista João Eduardo Nunes Salles, vice-presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), comer abacaxi logo após a refeição é ideal. Não jogue as cascas fora. Elas carregam tanta bromelina quanto a polpa e servem para fazer chá.

Água
Para remover o excesso de líquido do organismo, é essencial tomar água. Ela estimulará o trabalho dos rins e ajudará a diluir o sódio. “Beber mais água faz o sistema urinário aumentar o seu funcionamento e a eliminar mais rapidamente os líquidos e os eletrólitos do sódio”, diz o nutrólogo Daniel Magnoni. A recomendação é tomar de 1,5 litro a 2 litros por dia, não mais do que isso.

Banana
A banana é uma fruta rica em potássio, nutriente que auxilia na remoção do sódio pelo organismo por contrabalancear os efeitos do sódio. “Além disso, algumas pesquisas mostram que o consumo de potássio associado à baixa ingestão de sódio está relacionado com a diminuição da pressão arterial”, diz Tarissa Petry, endocrinologista do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Chás
Além de estimularem os rins, como a água, os chás contêm fenólicos, compostos que reduzem o acúmulo de líquido na parede das artérias e são antioxidantes. “Se você conseguir diluir o excesso de sódio, a excreção será mais fácil”, aponta João Eduardo Nunes Salles.

Abacate
O abacate é uma das frutas que mais contêm potássio: 485 miligramas para cada 100 gramas. Assim como a banana, o abacate ajudará na excreção de sódio. Consumir frutas ricas em potássio é, ao lado da ingestão de água, uma das formas mais eficientes de desinchar.

Vegetais
Os vegetais possuem grandes quantidades de potássio e são alimentos de fácil digestão, características que ajudam na excreção de sódio. Por esses motivos, os vegetais devem ser os principais componentes das refeições no dia seguinte à ingestão exagerada de sódio. Mas cuidado com molhos prontos: eles são ricos em sódio. Fonte: Veja Saúde

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »

Salada de Repolho e Soja com Molho Italiano

31st outubro, 2014 by Danny Mou

>> Diário Pessoal, 31/10/14

Esta prática salada reúne três ingredientes que fazem muito sucesso aqui em casa: soja, repolho e azeitona preta! Esta combinação fica excelente, vale à pena experimentar! ;)

Ingredientes:
- 1/2 repolho verde (tamanho médio) cortado em tiras finas
- 1 sachê de Soja Fugini
- 3 colheres (sopa) azeitona preta fatiada
- 1 pitada de sal
- azeite de oliva

Modo de Preparo:
Coloque o repolho numa travessa funda com o sal e azeite de oliva numa boa quantidade. Cubra com um prato, até que ele reduza o volume. Misture as azeitonas e a soja escorrida. Leve para gelar.

.

Na hora de servir, tempere com o Molho Italiano Fugini!

.


A Fugini também está presente nas mídias sociais:
Facebook e Twitter

Sugestão de leitura:


Siga @danny_mou no Instagram!

» COMENTÁRIOS AQUI »